quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Adios indiada

         
            Tudo na vida tem seu momento e há tempo para tudo, não lembro exatamente a data, mas faz uns 10 anos atrás que o blog GoldaChape me convidou para escrever sobre o Verdão do Oeste, naquele tempo o costume eram longos debates nos comentários da postagem e como a gente se divertia...

             Em 2011 veio o convite do DC para o projeto Passionais da Chape onde a ideia era "inticar" o torcedor dos times rivais de SC e foi ainda mais divertido, nesta época o Face já era a preferência para se comentar sobre futebol e poucos ainda utilizavam os comentários diretos nas postagens, mas a ideia seguia a mesma, falar da paixão.

             No final de 2014 o contrato com o Diário Catarinense terminou e eu resolvi continuar escrevendo minhas opiniões sobre o Verdão do Oeste e criei o FalaDaChape, sempre procurando manter o tom otimista sem deixar de falar o que era preciso para o Verdão.

              Hoje encerro esta minha participação como "blogueiro", imaginando que de alguma forma contribuí para uma visão mais "positiva" da nossa Chapecoense, para incentivar os que apoiam mais do que jogam pedras, afinal o equilíbrio é essencial pra tudo na vida.

               Agradeço aqueles que me acompanharam durante estes anos, 115.379 visualizações aqui neste espaço, 300 visualizações em média por postagem, pouco eu sei, mas para alguém que não é profissional e não vive disto, considero muito valioso.

               Orgulho e prazer de ter acompanhado e comentado todo o crescimento do nosso Verdão, alegrias enormes e uma tristeza gigante pela tragédia e a certeza de torcer para um time que representa um povo.

                Obrigado de coração pela paciência!!! Continuaremos nos vendo nas redes sociais. Abração.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Cairemos?

         
            A Chapecoense começou a série A a todo vapor, foi líder, manteve a posição no G4 por algumas rodadas e dava a impressão de que tiraria de letra a primeira meta de todo time catarinense na série A, permanecer. Porém as coisas foram desandando aos pouquinhos, com a eliminação do time da Libertadores, a queda de desempenho, lesões, falta de convicção da diretoria e do técnico.

            Derrotas e empates inesperados fizeram a Chapecoense encerrar o turno batendo na porta do Z4 e assim como as primeiras 10 rodadas do turno eram previstas como difíceis, as primeiras 10 do returno passaram a ser decisivas. (Palmeiras(f), Corinthians(c), Avaí(f), Cruzeiro(c),Grêmio(f), Ponte Preta(c),                              ), o mínimo aceitável nesta primeira etapa são 13 pontos, o que nos deixaria com 35 e precisando buscar pelo menos mais 9 ou 10 nos últimos 27 disputados.

              Se não fosse esta falta de perspectiva que se vê em um time comandado por um técnico burocrático, que não inspira ninguém, poderíamos cravar como certa a permanência da Chape, o time, apesar de limitado, está longe de ser pior que os outros 7 que vão brigar contra o descenso (Atlético/GO, Avaí, Vitória, Ponte Preta, Coritiba, Bahia, Vasco). Um pouco mais de "ânimo" e estaremos novamente na série A de 2018.

               Não joguei a toalha, nunca jogo, sou otimista com os pés no chão, menos que 35 pontos até a rodada 29 eu não estarei no grupo que vai gritar "Eu acredito" no estádio, pois a lógica vai me impedir de fazer isto.

               Sei que pode soar pessimista, mas sem uma mudança radical, técnico e presidente, acho difícil encontrarmos o rumo. Maninho foi e é importante para o Verdão, mas não tem nem cacoete de presidente de um clube de futebol.

               Desculpem o desabafo....

sábado, 5 de agosto de 2017

Ai meu coração!!!

         

           A Chapecoense está dividindo o sentimento dos seus torcedores, se por um lado teremos a possibilidade de assistir um jogo histórico, valendo taça, diante de um dos maiores clubes do mundo, se não for o maior, por outro teremos um dia antes uma partida importantíssima para nossas pretensões de cumprir a maior meta do ano, permanecer na série A.

           Jogar contra o Barcelona e não ser goleado, para um time do nosso porte, já será uma vitória grandiosa, aí você pode dizer "mas ah Jean, não dá pra ser pessimista, vai que a gente faz uma gracinha lá", gente, sendo bem otimista a gente perderá por menos de 3, estou sendo realista. Portanto este jogo vale apenas como exposição do clube.

            A partida contra o Coritiba por outro lado é bem mais complicada, pois vale 3 pontos e nosso histórico lá, tirando a goleada do ano passado onde vencemos por 4x3, não marcamos nenhum gol jogando na capital paranaense nos outros dois jogos(3x0 e 1x0). Enquanto a gente vem de uma derrota para o lanterna e um empate para um time abaixo de nós na tabela(ambos em casa) eles vem de um empate fora contra o Flamengo e uma vitória importante fora de casa contra o São Paulo ,para piorar estamos com a mesma pontuação disputando posição.

             Independente do resultado a ida para Barcelona será histórica, o mesmo não vale para a ida para o Paraná, uma derrota apesar de não nos colocar no Z4, vai nos deixar com uma missão dificílima para o returno, uma vitória aliviaria bem a tensão.

            Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Tudo ou nada

             
                  O jogo em si contra o Bahia não parece complicado, nosso histórico, lá e cá e de vitórias, o time deles acaba de mudar de técnico e não vem bem, porém a Chape vem se mostrando inconstante.

                  Não bastassem nossos pequenos problemas, que devem ser acertados com a chegada dos reforços, temos ainda uma rodada em que tudo pode ficar ainda pior em caso de derrota, uma vez que os times que estão abaixo do Verdão na tabela, vão se enfrentar e podem empurrar o nosso mais para baixo ainda.

                 O São Paulo pega o Coritiba, qualquer um que vencer nos ultrapassa, O Atlético pega, em casa, o Avaí, vencendo também nos ultrapassa, perdendo, deixa o rival estadual na nossa cola, o Fluminense, fora de casa pega o Sport, caso vença ou empate nos tira uma posição. Sem contar é claro com o próprio adversário desta noite que também nos ultrapassaria.

                   Quero acreditar que o jogo passado foi um cochilo, uma moleza pela ressaca da classificação na Sul Americana. É jogo para botar tudo o que se tem em campo e não aceitar outro resultado que não seja a vitória. Eutrópio não é do tipo motivador, logo, vai ter que compensar com grande acerto tático e nas mexidas durante o jogo. Perder não é uma opção e empate é para se lamentar muito.

                   Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Síndrome do "Jogo fácil"

             
                 Em 2015, a Chape vinha de uma vitória épica sobre o River Plate em casa por 2x1,  na sequencia pegaria o Atlético/PR que vinha mal das pernas no Brasileirão,a torcida esperava um atropelamento, o que aconteceu foi um frustrante empate em 0x0.
                 No ano seguinte, após uma classificação também histórica sobre o Independiente de Medelin enfrentaríamos em casa outro time capengando, o Vitória, novo atropelo esperado pela empolgada torcida e o que levamos foi uma sapecada de 1x4 na nossa casa.

                  A Chapecoense tem vivido esta "Síndrome do jogo fácil", os jogadores que vem para cá parece que se contaminam com ela facilmente. O time começa mostrar melhoras, desenvolver um futebol razoável, mas basta pegar um time abaixo na tabela, ou logo após uma excelente apresentação, que parece que as pernas amolecem. Foi o que vimos contra o Atlético/GO.

                  Tenho mais dezenas de exemplo que não vou escrever aqui, porque acho que já mostrei meu ponto. Todo mundo lembra do Imbituba, Juventus, Almirante Barroso... Basta a gente esperar que o resultado seja o óbvio que o Verdão vai lá e faz o contrário.

                    Desta vez não mudamos a escrita, após uma classificação na Sula, que nos encheu de orgulho, lá foram os jogadores dormindo enfrentar o lanterna e favorito ao rebaixamento e deu no que deu.

                    Agora teremos Bahia em casa e Coritiba fora, menos que 4 pontos nestas duas partidas, podem preparar o coração, sofreremos muito no returno.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

De nuevo soñar

               
             Mais uma vez o Condá vai ser pintado de verde e branco para receber os hermanos argentinos para uma disputa de tirar o fôlego. Começaremos a partida eliminados e teremos 90 minutos e mais um pouco para reverter a situação, fazendo dois gols de diferença , caso consigamos apenas devolver o resultado da ida, testaremos ainda mais nossos corações coma  disputa de pênaltis.

                O adversário mudou muito desde o primeiro confronto, a começar pelo técnico e passando por vários jogadores destaques. Portanto a única coisa que veremos se repetir em campo é a já conhecida garra e entrega argentina. Eles estão com um aproveito de 53% no campeonato nacional, com 14 V, 7 E e 9 D, sendo que vem de 4 vitórias seguidas e durante todo campeonato perderam apenas 3 vezes por 2 gols de diferença(osso duro de roer).

                 Do lado verde e branco, também mudamos de técnico e estamos em uma melhor fase do que aquela que estávamos quando perdemos de 1x0 lá. A classificação não é obrigação da Chape, mas seria um passo muito importante para consolidar a recuperação, além é claro de trazer $$$ para nossos cofres.
   
                  Ainda dói a eliminação da Libertadores por um erro burocrático da Conmebol, aliado à falta de experiência e de bom senso do nosso presidente. Mesmo assim, a torcida não deve levar isto para campo, é outra competição e temos chances reais de seguir adiante, mas será preciso aquele apoio irrestrito durante a partida.

                  Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!
               

terça-feira, 18 de julho de 2017

Caiu na rede,é ponto...

             
                 ...mas não vai ser nada fácil.  Nosso histórico contra eles é bastante desfavorável, parece que não conseguimos ainda aprender um jeito de enfrentar os paulistas do litoral. Foram 6 confrontos até hoje, apenas uma vitória do Verdão em Chapecó e lá perdemos todas as 3 que jogamos e para piorar sempre levamos pelo menos 3 gols.

                  Apesar da vitória que nos deu certo alento na rodada passada, sabemos que ainda estamos reorganizando o time pós-Mancini, voltando ao velho estilo brigador na defesa e meio de campo, porém cientes de que isto leva tempo para encaixar. Para piorar um pouco mais, o Santos vem fazendo um bom Brasileirão e vai lutar com unhas e dentes para se manter no G4.

                   Os reforços ainda estão se preparando e também vão precisar se adaptar ao time, então mesmo que entrem no BID , pouco provavelmente serão utilizados de cara. Vamos com o que temos e devemos manter a postura "cautelosa", nada de todo mundo pra cima do adversário. Se trouxermos um ponto de lá, já terá sido um baita resultado, na verdade será inédito.

                   Somar pontos é o que importa no momento, colocação na tabela vai importar apenas no final do campeonato.

                    Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Valeu o apoio

             
             Qualquer torcida consegue criticar, ofender, agredir, mas a torcida verde e branca, mais uma vez fez diferente,foi receber o time no aeroporto após a derrota para o Sport com apoio e incentivo. Sabendo que na próxima partida teríamos um time bastante mudado e enfrentaríamos um time qualificado e precisando vencer.

              O primeiro tempo não ajudou a melhorar a expectativa de sair da situação incômodo de estar às portas do Z4, pouca produção do Verdão do Oeste e um 0x0 que trazia o medo de mais um revés dentro de casa que nos colocaria em uma situação ainda mais delicada.

               Veio o segundo tempo e vimos a mão do Eutrópio, a substituição no ataque deu resultado rápido, após dois minutos em campo Túlio de Melo abriu o placar de cabeça. O São Paulo tentou equilibrar o jogo com lampejos individuais porém sem sucesso, até que nos acréscimos viu Lucas Marques ampliar e dar o placar final da partida.

                 O jogo não foi bonito, mas como dizem, "até os quero-queros da Arena sabem" que o mais importante agora é somar pontos enquanto o time não se acerta 100%, precisamos de pelo menos mais 6 pontos até o final do turno, dá para fazer mais.

                   Se o Eutrópio fizer o básico, jogar sem se jogar para cima dos adversários feito um bando, poderemos nos manter na série A sem muito susto.

                    Destaque para a presença da torcida, apesar do momento ruim, não abandonou o time. 99% das vezes, apoiar faz mais diferença para o bem do que vaiar e protestar. Protesto deve ser guardado para time sem raça , nem de perto é este o caso desta Chapecoense de 2017.

                     Valeu meu Verdão!!!!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Calma Leão

              
               A Chapecoense tem um histórico muito equilibrado jogando contra o Sport, em 10 jogos, desde 2013, são 4 vitórias para cada lado e 2 empates. Vários destes jogos com pelo menos 3 gols, nossa maior pancada foi em 2016, no jogo da despedida do Guto, 5x1 pra eles. Porém nossa primeira visita à Ilha do Retiro foi uma virada fantástica no finalzinho do jogo.

                Sobre momento, eles estão em alta e nós tentando nos equilibramos para ficar longe da parte inferior da tabela. Mesmo assim, a diferença é de apenas 3 pontos entre nós.

                  Eutrópio vai buscar fechar um pouco mais o time provavelmente pelo que deu indicações na partida anterior e isto é o correto, pelo menos para o momento. Qualquer ponto lá será bem vindo e se surpreendermos os rubro-negros na sua casa daremos um bom salto.

                    Hoje Rossi se despediu do Verdão, teve bons e maus momentos com a nossa camisa , mas de qualquer forma podemos dizer que cumpriu bem a sua função. Vontade não faltou. Obrigado.

                    Vários nomes chegando, principalmente para o ataque, o que dá um certo alento, mas como sempre gosto de enfatizar, são contratações, só saberemos se são "reforços" depois que jogarem.

                     Será que entraremos em uma nova maré? Tomara que sim.

                     Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!

terça-feira, 11 de julho de 2017

Mudando o rumo?

               
                A chegada do Eutrópio ainda não fez efeito, calma torcedor, qualquer um que acompanhe futebol sabe que resultado logo na chegada tem mais a ver com acaso do que propriamente com mudanças feitas pelo novo "professor".

               
                O Verdão apresentou no início do jogo contra o Atlético/PR o mesmo "apagão" que vinha acontecendo na era Mancini, levando um gol antes de 2 minutos. Depois disto o time jogou relativamente bem, mas ainda apresentando um certo desequilíbrio nas ações defensivas.

                 Apesar de bastante posse de bola e pressão a finalização ainda segue sendo o calcanhar de Aquiles do ataque do Verdão, que cria boas possibilidades mas não tem uma boa direção na conclusão. Para isto a Chape está trazendo atacantes e meia-atacante tentando mudar este cenário.

                 Nossa reza é para que o Eutrópio de 2017 seja diferente do de 2015, que apesar de conhecer muito na teoria, tinha grande dificuldade de incutir em seus comandados o espírito e a alma Chapecoense de luta. Apesar de não estar entre os que faze o coro de "falta de raça" quando as coisas não vão bem, até porque este não é de forma alguma o nosso problema, lembro bem que chamava a Chape do Eutrópio de "operários padrão"(aqueles que não fazem o suficiente para serem promovidos e nem deficientes o suficiente para serem demitidos).

                  Teremos até o fim do turno, São Paulo, Atlético/GO e Bahia, qualquer coisa menos que 7 pontos será bastante preocupante para o restante da competição. Sport, Vitória, Santos e Coritiba fora teremos que vencer pelo menos uma, ou não perder nenhuma, fechando assim com 25 a 26 pontos para buscarmos outros 20 no returno.

                    Vamos, vamos Chape!!!

                 

             

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Segura na mão de Deus...

                 
                   Semana conturbada na Chapecoense, o que todos temiam está em curso dentro do Clube, a dificuldade da nova diretoria manter os altos padrões da diretoria passada. Apesar de imaginarmos que isto poderia, ou viria a acontecer, no fundo tínhamos a esperança de que fosse um pequeno abalo e não um terremoto.

                     Também sabíamos que a grande exposição nos colocaria na "boca do povo", ou seja, agora temos milhares de "opinadores" na gestão da Chape, até a simples demissão de um técnico que vinha apresentando uma sequencia de maus resultados é colocada no tribunal das redes sociais para julgamento. O que nós torcedores podemos fazer?

                      1°- Não nos deixarmos levar pela onda de pessimismo
                      2° - Lembrarmos do nosso papel principal que é apoiar.
                      3° - Não passar "disque me disque" pra frente(fofocas)

                      Domingo enfrentaremos o Atlético/PR que não vem em um bom momento, além disto enfrentaremos também a desconfiança frente ao nosso novo técnico Vinícius Eutrópio(quem me acompanha sabe que é o único até hoje que eu cornetei). Porém, vou deixar de lado minhas "convicções" quanto a ele e apoiar, pois o sucesso dele é o nosso.

                       Nossa esperança é que ele tenha observado, estudado e descoberto o óbvio dentro do time, que não podemos querer encarar times melhores de igual pra igual e de forma alguma podemos deixar espaço no meio de campo para os adversários criarem, principalmente dentro dos nossos domínios.

                       Boa sorte Eutrópio, boa sorte Chapecoense, boa sorte diretoria(falaremos sobre em outra ocasião).

                        Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Desespero?

           
             Ainda não, apesar da situação ruim, estamos vendo um campeonato muito equilibrado que está vendo uma dança das cadeiras nas posições da tabela. O 16° colocado, primeiro fora da zona de rebaixamento está a 5 pontos do primeiro dentro do G4 e a 4 pontos do G6.

              A Chape, com 13 pontos, está a 3 do G4 e a 3 do Z4, e a rodada não é favorável, vamos encarar o Fluminense fora de Chapecó e em uma sequência negativa. Historicamente o Fluminense tem tido dificuldades com o Verdão do Oeste, mesmo assim, fica difícil contarmos com pontos vindo de lá levando em consideração nosso momento. A hora da virada já passou do ponto, era para ter sido contra o Galo aqui.

              Reforços estão sendo especulados, nenhum nome de impacto, mas muito melhor do que apenas esperar. O que resta é torcer e apoiar os que chegarem para que tenhamos um bom elenco e não apenas um time que oscila cada vez que uma ou duas peças se lesionam ou são punidas.

               Pessimismo e otimismo gastam a mesma energia, tem muito campeonato pela frente e "crise" acontece principalmente se a torcida entra na pilha de encarar o que acontece normalmente com times de futebol do nosso porte, como algo "absurdo". Não é. No nosso melhor ano, 2016, vencemos 13 vezes(39 pontos) os outros 13 pontos vieram de empates.

                 Qualquer ponto será bem vindo, o que precisamos é deter a sequência de derrotas.

                  Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

terça-feira, 27 de junho de 2017

Vamos sonhar outra vez

                 
                   Sim, apesar de ser realista, também sigo sonhador. A Chape é o meu time por isto mesmo, sempre me deixa sonhar. Mesmo quando não tínhamos série e enfrentávamos algum gigante nacional na Copa do Brasil, ou quando íamos passo a passo para uma final do estado contra times mais estruturados, eu sonhava durante toda a campanha.

                    Ano passado vimos o sonho se realizar, adversário após adversário vencido na segunda maior competição internacional do continente e chegamos ao título, ainda que com uma perda inimaginável.

                    Começaremos a caminhada na Argentina, contra o Defensa y Justicia , que apesar de ter sido fundado em 1935, só teve sua primeira participação nacional em 1985 na primeira B e somente em 2014 chegou à primeira divisão.  No momento tem 54% de aproveitamento no campeonato Argentino(14 vitórias,7 empates e 9 derrotas).

                     Sabemos o que esperar no quesito entrega, independente de série ou situação, os times argentinos entregam qualquer resultado de forma cara, portanto é preciso atenção e dedicação dos nossos jogadores do início até o apito final.

                     O momento da Chape é ruim, mas sabemos que geralmente cada competição é uma história diferente, Importante mesmo é não voltar, no mínimo, com um resultado que seja difícil demais para reverter e por que não com um resultado que nos dê vantagem?

                     Perdemos a última no Brasileirão, revolta de parte da torcida, alguns de forma equivocada cobrando "raça", o que eu não estou vendo faltar, outros corretamente cobrando mudanças, o que realmente é preciso pois o time está jogando um futebol pobre e manjado pelas laterais e insistindo demais do tal do "latereio", tá feio de assistir. Ou o Mancini se reinventa ou vai encontrar o caminho da rua.

                      Vamos, vamos Chape!!! Em busca do sonho.