sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Carta aberta aos recém-chegados

             
                Primeiramente bem vindos ao clube que está em nossos corações há muitos anos e que tem feito a alegria e trazido orgulho para toda uma região, estado e país. Não vou aqui relembrar tudo o que aconteceu de 29/11 em diante, respeito a dor e as lágrimas de cada um, sei que cada pessoa tem seu tempo de luto. Vou apenas falar um pouco sobre onde vocês irão pisar.

                 O gramado do Condá já viu vários jogadores que estavam desacreditados em seus times, jogadores que já estavam pensando em desistir de suas carreiras, voltando de leões graves, com fama de indisciplinados se transformarem em heróis e ídolos.

                   Não vou saber dizer para vocês se é a camisa, se é a cidade, a torcida, mas alguma mágica acontece quando você passa a ser o "Número, 10, 9, 88, 01 da Chapecoense". O espírito de Condá passa a fazer parte da tua vida e a sua vontade de jogar bola dobra, triplica ao som do "Vamo, vamo Chapeeee...eeeee". A cidade respira futebol.

                    Vocês nos encontrarão na rua, no mercado, no shopping, na farmácia e vão aos poucos se sentir chapecoenses, não se assustem, isto acontece com todos que tem um coração verdadeiramente apaixonado pelo que faz.

                    Claro que sabemos que existem clubes maiores, mais ricos, com melhor estrutura, mas quem por aqui passa leva pra sempre a saudade destas terras do Oeste.

                     Não vamos colocar nas costas de vocês peso nenhum de "substituição". Os heróis que se foram são insubstituíveis, nós sabemos disto. Pedimos apenas que vocês honrem a camisa que eles vestiram e contem com a gente nas arquibancadas.

                      Aqui a única "obrigação" é dar o máximo de si. Sabemos que mesmo fazendo isto as vezes as vitórias não virão, mas saberemos reconhecer a entrega.

                       Bom 2017 para vocês. O sucesso de vocês é a nossa alegria.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Um ano a ser escrito

                 
                    Uma folha em branco a ser preenchida, assim é a Chapecoense para 2017. A dor do ocorrido em novembro vai deixar cicatrizes eternas, mesmo assim avançar é preciso.

                    No momento de emoção forte, muito se prometeu, mas como era esperado, dado nosso conhecimento prévio da maioria dos dirigentes dos times que ofereceram ajuda, nada ou quase nada se cumpriu. Tudo bem, nossa diretoria é composta por gente cascudo, que vive no meio de tubarões no dia a dia dos seus negócios, sabiam de antemão que muito pouco viria. O que se concretizou foram "presentes de grego", com ofertas de jogadores que não acrescentariam nada para o Verdão.

                     Se puxarmos um pouquinho só da memória, alguns anos atrás esta era nossa realidade, garimpar, limpar, selecionar , formar bom time, revelar e recuperar jogadores para depois ao final do catarinense perder os melhores para outras propostas e ter que iniciar todo este ciclo pro ano seguinte. Guardada as devidas proporções, já que agora montamos times para competições muito mais complicadas, experiência nisto nós temos.

                       Este diretoria, apesar de ter um norte, demonstrou ter uma visão própria(se boa ou ruim teremos que esperar pra dizer), uma vez que foram atrás de um profissional de fora para o departamento de futebol.

                       Acredito que com umas 15 partidas poderemos ter uma ideia do que esperar para a temporada. O importante é saber que, deveremos ser pacientes e compreender que os resultados podem demorar para aparecer, portanto apoio irrestrito neste início e olhos bem abertos com quem está assumindo.

                     #Força Chape, nosso sonho não vai terminar.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Incontestável

                 
Imagem: esporte.com

Chapecoense campeã da Copa Sul Americana 2016. Premiação gorda, vaga para a Libertadores 2017, Recopa Sul Americana, Copa Suruga 2017.

                    Gostaríamos de conquistar tudo isto amanhã em Curitiba, no Couto Pereira vibrando a cada momento até o apito final, mas infelizmente não será possível, pois os campeões não estarão lá para jogar.

                     Não é um título como outro qualquer, onde tomaríamos as ruas da cidade com buzinaço, bandeiras, camisas, bumbos e celebrações, este foi diferente, veio recheado de lágrimas tristes.

                      Apesar de tudo isto ainda sim é o maior título da história do Associação e no meu humilde ponto de vista divide em grandeza o mesmo patamar da Copa do Brasil do Criciúma. mas isto para nós , nem vem ao caso.

                       Importante frisar que este título, ao contrário do que alguns já estão querendo torná-lo, não é um título "honorário", "interino", "menor", ou ainda pior "por pena". Este título foi entregue espontaneamente pelo outro finalista que entendeu a impossibilidade da partida e viu valor suficiente no adversário para proporcionar tal ato.

                       A Chapecoense chegou até a final derrubando, o campeão da Copa Verde, um tradicional time colombiano que já foi semi-finalista de Libertadores, um Rei de Copas da Argentina, e um recente campeão da libertadores e finalista mundial. Se venceríamos o Atlético Nacional? Não sei, mas o time vinha bem na competição e ganhou tanto o respeito dos Colombianos que a torcida do time aceitou a entrega deste título. Não fomos para a justiça requerer isto,ninguém sugeriu ou pediu isto para os colombianos ou para a Comebol, se eles espontaneamente abriram mão de jogar a final e aclamaram a Chape campeã, nada há para se dizer.

                        Somos sim campeões, sem *asteriscos. A única torcida que poderia contestar isto não o faz, muito pelo contrário, nos parabeniza e aceita.

                        Não passe vergonha mostrando recalque por este título que o Verdão conquistou.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Vai voltar amanhã..mais uma vez,eu sei...

                 
                 Obrigado presidente Sandro Pallaoro. Este seria o título deste texto, mas lembrei que se ele visse este título iria chamar minha atenção "Não Jean, eu sou apenas uma parte, eu não entro em campo. Todos merecem do roupeiro ao goleiro." E eu responderia "Eu sei meu presidente, eu sei".

                   Mesmo assim não posso deixar de falar do cara que deu a cara a tapa, que foi um dos símbolos da recuperação e crescimento da Chape, repito, um dos símbolos, teve muita gente. O Sandro era um cara transparente, muitas vezes eu pensei "Meu Deus, alguém tire o microfone da frente do presidente", não porque ele estivesse falando alguma bobagem, mas porque muitas vezes era sincero demais pra este mundo tão político.

                    Aprendemos com o Sandro que podemos sonhar, mas não sonhar estes sonhos bobos de quem deseja algo e não se mexe pra ver acontecer. Aprendemos a sonhar andando pra frente, sonhar com os pés firmes no chão, um passinho de cada vez, não importando a pressa da imprensa ou da torcida. Sonhamos com os olhos bem abertos, enxergando o horizonte, assim veio a série B, a série A e a final da Sul Americana, tudo bem antes do sonhado.

                    O Pallaoro, desculpe a intimidade presidente, entregou tudo o que prometeu antes do prazo e na vida empresarial todo mundo quem entrega mais do que é esperado recebe aumento e promoção. Então presidente, ainda que de uma forma triste, você foi promovido a mito.

                     Não tenho dúvida que depois da tempestade de dor que tivemos, virá a bonança, assim é a Chapecoense que você nos deixou, um time nos trilhos. O povo do Oeste é forte, o espírito do colono acostumado a perder colheitas e seguir plantando é forte demais pra se entregar por isto eu sei, não nos entregaremos jamais.

                     Superaremos com a certeza do sol que se levanta a cada manhã.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Luto

 
"Tento entender, mas meu coração não aceita
  dizem que tudo na vida se ajeita,
  mas que jeito pode existir pra esta dor?

   Quem veste esta camisa,
   de apenas ser jogador,
   passa a receber como se fosse família
   todo o nosso amor.

  Não há como expressar a tristeza,
  mas posso dizer com certeza
  que toda nossa região
  se une neste momento
  pois assim é o espírito do Oeste
  todos neste sentimento.

   Nenhuma palavra confortaria
   amigos, irmãos e família,
   disto eu sei muito bem.
   Mas quem nos deu tanta alegria
   e nos fez sonhar grandemente
   creio que certamente
    está de mãos dadas com Deus".

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Explosão de sentimentos

           
            Tentar explicar um sentimento é algo sempre bastante complexo, apesar de não ser assim para quem o sente. Ontem vários sentimentos estiveram presentes dentro do Condá lotado:

              Expectativa antes do apito soar pela primeira vez.
              Orgulho de ver nosso time na semifinal de uma competição internacional.
              Emoção durante os 90 minutos mais acréscimos.
              Angústia quando cada minuto parecia durar bem  mais que 60 segundos.
              Raiva com a arbitragem medíocre que poderia ter estragado o espetáculo.
              Pavor quando a última bola do jogo sobrou para um chute a queima roupa para o adversário.
              Alívio por ter um excelente goleiro que nos salvou neste lance.
              Êxtase quando o apito soou pela última vez.

             Quem olha a lista imagina que foi simples, mas quem conhece a nossa história consegue imaginar a intensidade com que todos eles aconteceram ontem e o quanto estiveram em vários momentos misturados.

              Não trememos diante do adversário, como bem disse a Letícia Sechini,"fizemos o estádio tremer". Mais uma vez a torcida foi o diferencial, é assim desde antes de termos série, em poucos ou em muitos sempre apoiamos e carregamos o time. Citando nosso presidente Sandro Pallaoro em outra ocasião falando aos jogadores "façam o primeiro gol que a torcida faz o resto".

              Foi tudo tão "demais" que não farei jus ao que aconteceu com palavras, posso apenas agradecer a vida por ter me feito morar em Chapecó e conhecer a Chapecoense.

               Obrigado meu Verdão, obrigado Chapecó.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Confiantes sim, soberbos jamais

             
              A Chapecoense está em um momento excelente, 3 vitórias seguidas, a última sobre o São Paulo de forma convincente e vantagem para o jogo de volta na Sul Americana que dá vaga para a grande final.

               Torcida não tem como não estar confiante, assim como devem estar os jogadores, mas uma coisa que aprendi torcendo para o Verdão é que tanto um quanto outro sabem diferenciar "confiança" de "soberba". Confiança vai fazer a torcida apoiar o time do início ao fim, independente de como o jogo esteja transcorrendo, quer saiamos na frente , atrás ou vejamos o 0X0 se prolongar. Confiança que fará os jogadores correrem o tempo todo acreditando que dá.

               Soberba por outro lado enfraquece, quando se acha que algo está na mão, deixa-se de lutar por este algo, aí a torcida não apoia, o jogador fica mais "mole" nas divididas porque pensa que o resultado virá naturalmente.

                O San Lorenzo é o segundo colocado no campeonato argentino, não sente a pressão de jogar fora de casa, sabem que precisam vencer e virão para cima com tudo. Desnecessário lembrar as conquistas recentes deste clube argentino e também que os hermanos sempre jogam com o coração na ponta da chuteira.

                 Foco, precisaremos de muito foco, dentro e fora de campo se quisermos continuar fazendo história, lembrando NÃO TEM NADA GANHO AINDA.

                 Pra cima deles Índio!!!

sábado, 19 de novembro de 2016

Pra seguir sonhando

                 
                  A Chape recebe o Tricolor Paulista buscando fazer o dever de casa em primeiro lugar e também para seguir na luta pelo G6. A tarefa não é das mais simples, apesar de não ter ido muito bem no Brasileirão deste ano, o São Paulo não tem um time ruim, pelo contrário, tem bons talentos e um bom técnico.

                    Chegar entre os 6 times que irão para a libertadores no ano que vem depende de vários fatores, pelo menos 5 times ainda estão buscando esta oportunidade, mas o que é certo é que para a Chape seguir brigando precisa dar um passo de cada vez e o primeiro é agora domingo.

                   Vai ser difícil tirar a mente da próxima quarta quando faremos até aqui, a partida mais importante do ano, talvez da história do Verdão do Oeste, mas podemos pensar nesta partida como um bom teste para o jogo do meio da semana.

                     O time já mostrou maturidade suficiente, bem como preparo físico e psicológico suficiente para encarar cada partida com foco específico. Nossa parte como torcida é ter a mesma cabeça e apoiar amanhã e quarta com a mesma intensidade.

                    Pra cima deles Índio!!!

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Nem precisava...

             


                  O  Verdão, que todos os esperavam estar focado apenas na Sula, voltou do Rio de Janeiro trazendo 3 pontos na bagagem. O adversário certamente esperava um jogo fácil, uma vez que a meta 1 do Verdão já havia sido alcançada, porém se surpreendeu com uma Chapecoense aguerrida do começo ao fim do jogo.

                    Após uma pressão inicial, que durou praticamente metade do primeiro tempo, o Botafogo assistiu o Verdão do Oeste equilibrar o jogo até chegar ao primeiro gol em uma bola parada magistralmente cobrada pelo Cléber Santana e cabeceada para o gol pelo Kempes , sendo o único da etapa inicial.

                    Para o segundo tempo o Botafogo fez o esperado, pressionou o Índio guerreiro o quanto pode e fazendo isto abriu espaço para o contra-ataque e em um deles Sérgio Manoel não desperdiçou dando números finais a partida.

                    Próximos do G6 e agora matematicamente livres do rebaixamento...nem precisava meu Verdão, mas obrigado por mais um jogo vencido.

sábado, 5 de novembro de 2016

Sem dó

               
             O Verdão do Oeste em algumas oportunidades ajudou o Figueirense. A ajuda mais marcante foi em 2013 quando a Chape já tinha alcançado o acesso e caso perdesse fora para o Icasa poderia ter evitado o acesso do time do Estreito, mas vencemos, fora de casa, o resto é sabido.

                Neste domingo teremos a chance de "cobrar" e mandar os alvinegros do litoral de volta para série B. O time do "pacto" vem pra Chapecó com a intenção e confiança de vencer, é bem verdade que nos últimos anos eles vem sendo pedra no nosso sapato, mesmo assim, estaremos em nossa casa e devemos jogar esta partida com seriedade para alcançar os 46 pontos e focar totalmente na Sul Americana.

                 Teremos algumas poucas mudanças no time que vem jogando, com as prováveis entradas de Caramelo e Josimar. O time está mostrando maturidade e dificilmente algumas mudanças causarão grande impacto.

                 Jogar para vencer e vencer bem, este tem que ser o espírito, daqui pra frente tudo é preparação para o jogo de volta contra o San Lorenzo.

                  Pra cima deles Índio!!!!

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Orgulho sem soberba.

         
            O Verdão do Oeste mais uma vez encheu o peito do seu torcedor de um orgulho bom, não daquele que se acha superior ou canta vitória antes da hora, mas sim o que nos faz andar com a cabeça erguida e beijar repetidamente o escudo.

             Enfrentamos um dos atuais campeões da libertadores, acostumado a enfrentar grandes equipes e grandes pressões e mais que isto, enfrentamos este time dentro da casa deles e com apoio massivo da sua torcida. O que todo mundo poderia imaginar seria uma Chapecoense retraída, acuada em seu campo de defesa, mas o que vimos já no primeiro tempo foi um time aguerrido , tomando os espaços e criando oportunidades, assim foi até que em uma bola parada os donos da casa abriram o placar e o 1x0 desfavorável permaneceu até o final deste tempo.

               O San Lorenzo, sabendo que um gol apenas seria pouco pro jogo de volta, tentou botar mais pressão para o segundo tempo, e até conseguiu esbarrando na zaga ou no Danilo não conseguiram transformar as chances em gols. Vindo para cima abriram espaço para os contra-ataques rápidos do Verdão do Oeste e em um deles Ananias, aproveitando um cruzamento bem feito e o escorregão de seu marcador deixou tudo igual.

               Tivemos ainda uma grande chance de virar a partida, porém não conseguimos concluir com perfeição.

                Bom resultado, ganhamos um placar a mais nas possibilidades(0x0), mas todo mundo deve imaginar que o jogo da volta não é do tipo que termina com este placar...preparem vossos corações, vai ser fantástico.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Ao infinito e além..

                     

                    Ainda não atingimos a pontuação necessária para garantir a permanência, segundo os matemáticos, porém o que realmente importa neste último ponto conquistado é ver uma Chapecoense que, mesmo com suas limitações consegue fazer um jogo de igual pra igual contra um dos grandes do Brasil dentro da casa deles sem ficar intimidado e sem recuar.

                     Enfrentaremos um grande desafio quarta-feira, um dos recentes campeões da libertadores, time de camisa, quinto colocado no campeonato argentino, com apenas uma derrota e o fato de termos feito uma boa partida no final de semana enche de esperanças o torcedor verde e branco.

                     Futebol é imprevisível, pode ser uma noite boa nossa, deles, ruim pra nós ou pra eles, vamos saber só quando a bola rolar, mas considerando apenas o momento podemos esperar um bom jogo e uma boa possibilidade do Verdão do Oeste sair "vivo" como se diz no meio, o que seria voltar de lá com no máximo um gol de diferença e de preferência com um golzinho marcado.

                     O momento é histórico, na verdade estamos pisando onde nenhum outro catarinense antes pisou...não é pouco e achar isto é pura dor de cotovelo.

sábado, 29 de outubro de 2016

Tranquilidade, foco na Sula!!

             
             Caio Jr. surpreendeu todo mundo ao colocar o mesmo time que bateu o Junior Barranquilla na quarta. Ao contrário do que se podia imaginar o time jogou totalmente focado, marcando o Corinthians no campo de ataque e em quase todo o primeiro tempo parecia que estava jogando em Chapecó.

                Os gols da partida saíram no segundo tempo e saíram de pênalti, ambos corretamente marcados e convertidos. Danilo quase pega o do Corinthians e Bruno Rangel humilhou Cássio fazendo uma cobrança consciente.

                Sem dúvida alguma a Chapecoense faz uma boa série A e agora pode focar totalmente na Sul Americana, pois cair, não cai mais. Provavelmente 43 pontos bastam.

                 Valeu meu Verdão!!!

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Difícil focar

         

               Depois de um meio de semana histórico e de ficar no foco da imprensa regional, nacional e internacional, os jogadores da Chapecoense voltam para a realidade da busca pelos 3 pontos derradeiros para garantir a A em 2017 e pra cair ainda mais na real, enfrentando um time que ainda não vencemos desde que subimos em 2014.

               O Corinthians não vive um dos seus melhores anos, ainda assim está encontrando forças em um elenco sem estrelas para se manter na rabeira do novo G-6. Não precisa ser um gênio para deduzir que eles consideram este jogo como 3 pontos garantidos e não imagina deixar qualquer ponto que seja ser trazido para o Oeste de Santa Catarina.

                Caio Júnior já sinalizou que não vai com força máxima, porém os jogadores que entrarem tem a obrigação de jogarem focados. Impossível não é, mas bastante difícil sim.

                Pra cima deles Índio!!

Difícil focar

         

               Depois de um meio de semana histórico e de ficar no foco da imprensa regional, nacional e internacional, os jogadores da Chapecoense voltam para a realidade da busca pelos 3 pontos derradeiros para garantir a A em 2017 e pra cair ainda mais na real, enfrentando um time que ainda não vencemos desde que subimos em 2014.

               O Corinthians não vive um dos seus melhores anos, ainda assim está encontrando forças em um elenco sem estrelas para se manter na rabeira do novo G-6. Não precisa ser um gênio para deduzir que eles consideram este jogo como 3 pontos garantidos e não imagina deixar qualquer ponto que seja ser trazido para o Oeste de Santa Catarina.

                Caio Júnior já sinalizou que não vai com força máxima, porém os jogadores que entrarem tem a obrigação de jogarem focados. Impossível não é, mas bastante difícil sim.

                Pra cima deles Índio!!

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Chovendo no molhado...

             
              A expectativa de público, apesar da água absurda que caiu antes e depois do jogo, foi confirmada. Fosse só a quantidade de pessoas já mereceria louvor, mas alguns poderiam argumentar que teve promoção,porém, ainda mais marcante foi a atuação destes loucos ensopados, empurrando o time para um massacre impiedoso sobre os colombianos que nos visitavam.

               O Junior Barranquilla deixou claro desde o primeiro minuto que não faria nada mais do que se defender e fazer cera. Não contavam certamente com a vontade inabalável dos jogadores verde e brancos e com a chuva que não parava dificultando a intenção de contra-ataques rápidos.

               Danilo não foi acionado a não ser para bater tiro de metas e reposições e assim foi o jogo todo.

                Tanto martelamos que o placar se abriu ainda no primeiro tempo com Ananias em bela jogada do Bruno Rangel e antes do apito que nos levaria ao intervalo fizemos o segundo com um chute consciente do Gil.

                O início do segundo tempo foi meio "morcegado", mas bastou o Junior tentar esboçar uma reação que a Chape partiu novamente para as marteladas e empurrou de vez o time da Shakira para o campo de defesa até que matou o jogo com um gol do nosso zagueiro artilheiro, Thiego.

                 Foi histórico, mas falar isto é fazer o que aconteceu durante todo o jogo ontem...chover no molhado.

                 Obrigado meu Verdão por mais esta alegria e orgulho!!

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Faremos história...

               
                A Chapecoense terá nesta quarta-feira de outubro, uma chance ímpar de passar para as semifinais de uma competição internacional. Não será fácil como alguns podem estar pensando, devido a situação do time adversário em seu campeonato nacional.

                 Eles nos venceram lá, claro que temos que avaliar o contexto de como isto ocorreu, time cansado de uma viagem atrapalhada, campo maior, calor...mesmo assim,os adversários mostraram que alguma qualidade eles tem.

                   O início do jogo deverá ser tenso, com a Chape atacando e o Junior respondendo com contra-ataques velozes, mas a tensão terá que ser abafada rapidamente pelo apoio vindo das arquibancadas. Então torcedor, chova ou não, esteja frio ou calor, não importa, menos de 15.000 empurrando a Chape, com a força que a diretoria fez baixando os ingressos para preços de série D,será inexplicável.

                   Guarde a voz, pra entregar ela amanhã lá, já fizemos isto muitas vezes, no acesso pra série C, B e A, este jogo em caso de derrota, não tem "depois", é tudo ou nada.

                     Não vou aqui fazer avaliações técnicas dos dois times, não tenho condições pra isto, mas como torcedor posso fazer a seguinte avaliação,quando o Condá ferve , a bola entra no grito.

                    Pra cima deles Índio!!!

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Cevou...mas não pescou

           
         A Chapecoense não conquistou os 3 pontos que a torcida esperava. Cercou, amassou, deu trabalho para o goleiro adversário, mas não conseguiu balançar as redes e em uma infelicidade do Danilo acabou dando para os visitantes o único gol que a torcida viu domingo.

             Até pensei que o time poderia entrar desligado e com a cabeça no jogo de quarta contra o Junior, mas apesar da falha do nosso goleiro, o restante do time correu e buscou do início ao fim conquistar a vitória. Não deu, mas mesmo o mais pessimista sabe que em algum dos próximos jogos os pontos necessários para a permanência virão, quem sabe até mesmo fora de casa.

             Agora é mobilização para Quarta, chova ou faça sol, temos que lotar o Condá e dar um passo histórico para Santa Catarina, chegar a uma semifinal de uma competição internacional.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Fecha a conta e passa a régua.

             
                                                                                                                                            A
Chapecoense terá neste final de semana um encontro contra o Santos que pode definir o nosso foco para o restinho de temporada que temos. Caso vença atingirá os 45 pontos que serão muito provavelmente mais do que suficientes para garantir o time na série A em 20107.

            O Santos foi eliminado esta semana da Copa do Brasil e certamente terá foco total no G6 do Brasileirão e virão para o Oeste contando com pelo menos um ponto. Time de altos e baixos no campeonato, tem talentos que decidem mas também vivem individualmente estas variações por partida.

            Estaremos em casa, com apoio da torcida mas minha preocupação é saber se os jogadores vão conseguir ter foco neste jogo sabendo que na quarta seguinte terão um jogo ainda mais importante. Não sabemos ainda o que está passando pela cabeça do nosso técnico com relação a quem joga e quem é poupado, mas o certo é o seguinte, uma vitória contra a boa equipe paulista daria ainda mais confiança para buscar a classificação na Sula...difícil mesmo separar as duas coisas.

            Eles jogaram duas vezes em Chapecó, nunca venceram, perderam uma e empataram a outra. Pra cima deles Índio!!!!

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

A hora da diretoria. Bilheteria ou premiação?

             
            O nosso preparador Anderson Paixão até tentou, em um vídeo, tirar a preocupação da torcida e talvez não entregar o ouro ao adversário e nem desmotivar nossos jogadores. Nele se desdobrava para mostrar que todo o transtorno causado pela escolha do transporte, não causaria um desgaste que afetasse o desempenho dos nossos atletas...não foi o que vimos.

               A Chapecoense mal aguentou o primeiro tempo em boas condições e em uma bobeada levou um gol dos donos da casa. Era visível nos erros, ainda que poucos, de passe que as pernas estavam "pesadas". Hyoran que se destaca pelo toque suave estava devolvendo "pedradas" para seus companheiros, o mesmo acontecendo com outros jogadores.

               O Junior Barranquilla, sem apoio da sua torcida, tentou imprimir seu jogo e ficou claro o motivo do porquê estarem em 18° lugar no nacional e há 12 partidas sem vencer. O time é bastante limitado e se a Chapecoense fizer uma partida como fez contra o Sport passaremos para a semi.

                Longe de ser motivo para que a torcida não compareça na próxima quarta, esta derrota certamente não estava no script da diretoria e comissão técnica que terá um pepino para decidir como fará com o time neste final de semana contra o Santos. Poupa e pode adiar os 3 pontos, não poupa e pode perder alguém importante para o jogo de volta? Saberemos em breve.

               A diretoria tem que levar em consideração que, a premiação para passar desta fase é muito maior do que uma boa renda de bilheteria. Isto falando apenas do prêmio, sem contar o que não pode ser contabilizado facilmente, que é toda projeção que ganharíamos passando. Se usarem a inteligência que todos sabem que tem, farão ingressos a preços acessíveis, vamos lá, R$ 50,00 na geral com possibilidade de sócio comprar ingresso mais barato para convidados. Vale a pena, teremos boa bilheteria e Condá bufando na orelha dos colombianos.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

En Barranquilla se baila así

           
             A Chapecoense alcançou uma pontuação confortável no Brasileirão, não cai, precisa de mais uma vitória apenas, acredito que fará bem mais tranquilamente. Apesar do jogo contra o Cruzeiro não ter sido um primor, vimos Danilo, Neto e o restante do time aplicados e conseguindo uma marca até então rara, dois jogos sem sofrer gols.

            Agora todos os olhos e pensamentos se voltam para a Colômbia, para o tradicional Junior Barranquilla, clube com mais de 92 anos de história, onde estão incluídos 7 títulos nacionais, sendo o último em 2011 e 5 participações em libertadores, sendo que a melhor foi uma semifinal em 1994.

            O estádio Metropolitano é grande, porém os públicos vem sendo pequenos devido ao mau desempenho no Clausura(equivalente ao returno), onde estão em 18° lugar com 15 pontos depois de 14 partidas realizadas(3 vitórias, 6 empates e 5 derrotas). Apesar da má fase o sistema defensivo geralmente funciona e vai ser difícil para o Verdão vazá-lo.

             Se o Caio Jr. for um pouco mais ousado poderemos voltar de lá com um placar favorável, isto inclui fazer gols para não precisarmos passar pelo sufoco que passamos contra o Independiente.

              Dá pra passar de fase e fazer história sendo o time catarinense que mais longe foi em uma competição nacional. Quem duvida da Chape é louco.

              Pra cima deles Índio!!!!

sábado, 15 de outubro de 2016

Pra relaxar

           
              São 7 confrontos na história, 3 vitórias pra eles, 2 pra nós e 2 empates, já nos venceram aqui, nós já os vencemos lá, ou seja, muito equilíbrio.

             O décimo primeiro lugar está garantido independente do resultado, pois nosso adversário está logo abaixo com 37 pontos e não nos passaria mesmo que vencesse, na verdade não só eles, ninguém passa a Chape nesta rodada.

              A vitória sobre o Sport tranquilizou um pouco a torcida, mas o mais importante foram alguns retornos como Ananias e Hyoran e a forma de jogar mais segura do Caio Jr. O que todos queremos ver contra a Raposa é se os jogadores do Verdão vão estar focados no brasileirão ou com a cabeça já na quarta. Tomara que entendam que vencendo o Cruzeiro,ou ao menos empatando poderão viajar para a Colômbia totalmente sem preocupação.

                O adversário do final de semana joga bastante pressionado por sua torcida que quer ver o time afastado do Z4 de uma vez por todas e a Chape vai ter que saber usar isto a seu favor, cozinhar o jogo e aproveitar as oportunidades sem recuar em demasia.

                Ponto possível e um bom jogo com certeza. Pra cima deles Índio!!!

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Um leão por dia

               

                O Verdão do Oeste deu um passo gigante rumo a primeira meta no brasileirão, agora terá mais 8 rodadas para buscar algo a mais e também focar na próxima partida da Sul Americana.

                  Em uma manhã chuvosa de feriado, com refletores ligados e tudo, a Chape entrou em campo sob a desconfiança de um bom público para um dia como o de hoje e os primeiros 43 minutos não tiraram este olhar de tensão da torcida e nem o clima de desconfiança, até que em um escanteio muito bem cobrado por Cléber Santana, Thiego de cabeça fez o primeiro e único do tempo inicial.

                  No segundo tempo o Índio valente passeou em campo, Ananias manteve a lei do ex fazendo um belo gol de voleio após o bom cruzamento do Alan Ruschel e Kempes oportunista fez o terceiro depois de boa jogada do Hyoran dando o placar final da partida.

                   Final de semana enfrentaremos o Cruzeiro podendo quem sabe passar a régua e fechar a conta na preocupação com Z4 e no meio da semana, Sul Americana...é bom torcer pra Chape.

                   Valeu meu Verdão por mais uma vitória.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Falando a real

             
Terceira derrota seguida do Verdão, quarto jogo sem vitória, bateu o desespero? Em uma parte da imprensa e da torcida parece que sim.

                 O Caio Jr. tem erros e acertos, assim como outro técnico qualquer, mas é preciso sempre avaliar o contexto. Os números com ele vinham melhores do que com o Guto, a forma de jogar do time ficou mais efetiva em muitos jogos, porém, assim como os demais times do campeonato, as fases oscilam.

                 O Verdão até poucas rodadas atrás estava entre os times com menos derrotas, como o melhor visitante e entre os melhores ataques, mantendo seu calcanhar de Aquiles que é a defesa. Sentimos o impacto de , com nosso elenco limitado, disputar duas grandes competições com força máxima, sei que tem uma boa ala de torcedores que pensa que jogador é máquina e peça, que basta querer, ou trocar que tudo se encaixa e sai rodando, infelizmente não é assim.

                 Afirmo com toda certeza, não vamos cair, mas para isto é imprescindível que a recuperação comece o quanto antes, não vejo este "desastre" e "desarrumação", nem mesmo motivo para desespero, por vários motivos. O primeiro é que o time já mostrou que quer e que se esforça ao máximo para atingir sempre o resultado positivo, a questão está esbarrando na oscilação dentro da partida, momentos de bobeira. O segundo é que os times lá de baixo, talvez com exceção do Inter não estão mostrando uma melhora que assuste.

                  Faltam 7 pontos, talvez até menos, temos Sport, Santos, Figueirense, São Paulo e Atlético/MG em casa, 15 pontos em disputa precisando fazer um pouco menos que 50% deles, não tenho dúvida nenhuma que com nossa torcida apoiando até o final faremos mais que isto. Também sei que não vamos perder todas as que restam fora(Cruzeiro, Botafogo, Corinthians e Palmeiras).

                  Não entrem nesta pilha, não botem esta pilha!!! A Chape não vai cair e nem vai passar sufoco para escapar.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Pra onde vamos???

               
                Depois de uma classificação épica, contra um dos grandes da América do Sul, a Chapecoense levou uma sapecada em casa de um time que apesar de estar se recuperando no campeonato, está longe de ser um primor, muito menos fora dos seus domínios e menos ainda para atropelar o Verdão.

                 Dá pra encontrar um monte de explicação, time de ressaca pela classificação na Sula, confiança em excesso, mudanças demais no time, Argel do outro lado...mas nada vai satisfazer a torcida a não ser uma rápida resposta do time nesta quarta.

                   O histórico entre o Verdão do Oeste e o CAP é cheio de empates, 5 no total, as vitórias são mais raras uma pra cada lado. O placar mais comum é 0x0, jogos geralmente pegados e com poucos gols, com exceção de um 3x0 da Chape.

                    A disputa é pela sexta vaga para a Libertadores, os donos da casa lutam para se manter lá e a Chape luta para se aproximar , ou pelo menos se manter na briga até o fim. Não vai ser fácil, isto todo mundo sabe, o Índio do Oeste está vivendo um momento ruim no Brasileirão,um empate e duas derrotas seguidas, um ponto nos últimos nove disputados e o Atlético é o melhor mandante do campeonato, perdeu apenas uma em casa, então torcedor, qualquer coisa que vier de lá que não seja derrota, tem que ser bastante comemorado.

                     Pra cima deles Índio!!!

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Foco total

           
            A comemoração pela classificação para as quartas da Sul Americana foi grande, para torcida e jogadores. Claro que é difícil mudar a chave assim de uma hora pra outra, mas isto vai ser fundamental.

             O Vitória do Argel vem se recuperando e aqui ele conhece muito bem, sabe jogar com o psicológico do seu time e do time adversário e está naquela fase de paixão, onde motiva e pilha os seus jogadores.

             A Chape vai ter que jogar esta partida com muito foco, inteligência e força, pois é certamente assim que os baianos virão para cá.

             Basicamente com mais duas vitórias o Verdão se garante na série A em 2017 e poderá jogar a próxima fase da Sul Americana totalmente focado na competição internacional. A oportunidade de somar os primeiros 3 pontos nesta meta é amanhã e é muito boa, só não pode vacilar.

              Pra cima deles Índio!!!!

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Tendrán pesadillas con ellos

                 
                  Que noite, que noite, poderia ficar só repetindo isto. Um clima incrível, foi o que tivemos ontem no Condá. Como previsto e pedido pelo nosso eterno capitão Rafael Lima, o estádio estava elétrico e pulsando.

                    Os hermanos aproveitaram para fazer barulho e dominar o local enquanto a torcida verde branca ainda estava chegando e durante o hino, porque depois, ainda que quisessem impor o alto volume da sua conhecida paixão não conseguiram se sobrepor a empolgação dos locais.

                    O jogo ocorreu como o esperado, dentro de sua estratégia conhecida, Caio Jr. "cozinhou o galo"  no primeiro tempo, dando a posse de bola para que os "Rojos" se desgastassem e mesmo com toda esta posse e com velocidade conseguiram assustar o Danilo apenas uma vez no primeiro tempo.

                    Para o segundo tempo Caio Jr. empurrou o time um pouco mais para frente e viu as oportunidades se acumularem nas chegadas pelas laterais e nos chutes da entrada a área. O jogo caminhava para uma vitória do Verdão era o que todos os comentaristas repetiam,e o que era empolgação do Diabos Vermelhos, virou vandalismo, a torcida visitante entrou em confronto com a polícia local e fez um fiasco, assustando os bons torcedores que vieram apenas para apoiar seu time, 15 minutos mais ou menos foi o que a PM levou para enquadrar os maus elementos. A parada esfriou um pouco o jogo,mas as chances seguiram aparecendo, mesmo assim não teve jeito, 0X0 e decisão por pênaltis.

                     Depois de bem mais de 90 minutos de entrega total,raça e garra, os jogadores verde e brancos,Gimenez, Thiego, Josimar(Gil),Biteco,Filipe,Dener,Santana,Canela(Lourency),Thiaguinho e Kempes(Rangel),viram todo o seu esforço e luta serem colocados nas mãos do destino no que alguns chama de "loteria" dos pênaltis.Não eu não deixei Danilo de fora da lista acima sem querer...

                   Corações a mil, emoções aos borbotões, pênaltis perdidos por alguns mais experientes de quem se esperava tranquilidade e jogadores mais novos e menos experimentados convertendo e um grito que pernanecerá na cabeça dos hermanos por um bom tempo, "DANILOOOOO" que com uma grandeza enorme fechou as traves e fez o espaço entre elas parecer intransponível até a derradeira defesa que nos deu a classificação. Muita emoção na comemoração, alma lavada e a certeza que teremos muita história vitoriosa para escrever ainda.

                   Obrigado vida por ter me feito Chapecoense!!! Valeu meu Verdão.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Vai ferver

           
             A Chapecoense está pronta para mais um jogo histórico, a torcida está no mesmo ritmo e o caldeirão do Condá vai ferver.

              Os hermanos prometem quase 1.000 "hinchas" na ala visitante, e a gente sabe como é a torcida argentina, vão cantar e apoiar do começo ao final e a torcida verde e branca não deixará isto passar em branco. O brio do torcedor do Oeste é conhecido pelo estado, quando o calo aperta todo mundo se une e empurra o Verdão para a vitória.

              Não nos enganemos esperando um jogo morno, eles jogam fora de casa ainda com mais empenho do que em seus domínios e dificilmente sentem a pressão da torcida adversária. O placar de 0x0 lá não é cômodo para nós, pois um gol deles nos obriga a fazer 2, portanto a Chape tem que vencer este jogo e caso marque logo nem pensar em recuar o time.

               Volto no quesito torcida, ela será fundamental hoje para empurrar o time e manter todos os jogadores ligados, pois uma distração, uma falha e o sonho se vai.

                 Confiantes sim, soberbos jamais. Pra cima deles Índio!!!

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Faltou foco

               

                Chapecoense e Grêmio fizeram uma apresentação igualmente abaixo do que podem, mas ao contrário do dono da casa que vem tentando se recuperar depois de uma sequência ruim, a Chape pecou pela falta de foco. Claramente se via que os jogadores já estavam se poupando para o jogo de quarta.

                 As oportunidades foram poucas para ambos os lados e o gol tricolor saiu logo no início da partida aos 11 minutos mais ou menos, foram poucas chegadas verde e brancas na área do Grêmio, uma delas similar a do gol adversário, com a diferença que Biteco acabou não acertando bem o canto e Ghroe defendeu.

                 Fica um gostinho de que dava, devido ao que se viu em campo por parte dos anfitriões, mas certamente levando em consideração o campeonato todo não eram pontos automaticamente computados como os mais fáceis de se trazer.

                  Sem lamentar, pois não dá tempo, quarta é dia de jogo histórico pro Verdão.

sábado, 24 de setembro de 2016

Tinha o Zap...e pro Grêmio?

                        
                          O Verdão do Oeste deixou o Independiente de boca aberta. Esperavam um time encolhido e tremendo as pernas, mas viram uma equipe aguerrida, bem postada e que não é fácil de ser impressionada por qualquer camisa que seja.

                           Não saímos do 0x0, resultado que só é melhor do que perder sem gols, porque não trouxemos vantagem nenhuma pra Chapecó, apenas o direito de decidir em casa com uma vitória, qualquer empate com gols é deles e outro placar igual teremos pênaltis, ou seja, teremos que vencer e de preferência abrir dois gols para não terminar a partida no sufoco.

                           Os argentinos tem uma característica muito forte, não desistem, além de jogarem fora de casa como se estivessem em casa.

                           Amanhã teremos outra partida importante, contra o Grêmio, time que recentemente mudou de técnico, um motivador muito mais do que um estrategistas, teremos um jogo difícil, mas é claro que teremos que jogar pensando em pelo menos um ponto.

                            Se a punição tosca que recebemos do STJD/CBF por "ofensas" ao árbitro se cumprir, teremos dois jogos que seriam "fáceis" dentro de casa bem mais complicados por serem com portões fechados.(Não nos querem na série A, entendemos a mensagem faz tempo, mas colono que é colono não se entrega por qualquer geada)

                            Vamos pra Porto Alegre com coragem para enfrentarmos na quarta mais um jogo histórico em Chapecó.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Temer Jamais

             
            Calma galera, não é uma postagem política...kkkkkk....é pra falar da nossa postura contra o adversário da Sul-Americana, um gigante continental. O Independiente, também conhecido com Rey de Copas, é o time com o maior número de títulos na Libertadores e curiosamente tem mais títulos internacionais do que nacionais.

                Fundado em 1905 é um dos maiores clubes da Argentina, juntamente com o nosso adversário do ano passado o River Plate. Desnecessário dizer que é um time que não sente pressão alguma em competições de mata-mata, uma amostra disto foi como se classificaram diante do Lanus, vencendo fora por 2x0 e em casa por 1x0. Dentro do campeonato nacional estão com duas vitórias e um empate.
             
                                                        Fonte Wikipédia


                 Recentemente foram rebaixados para série B , mas logo voltaram para o seu lugar e estão indo bem, portanto torcedor Verde e Branco, esteja preparado para o que vier. Se fizermos qualquer coisa no estádio Libertadores ,teremos alcançado um feito que poucos times brasileiros alcançaram lá.

                  A postura da Chapecoense vai ter que ir além do "marcar e contra-atacar", teremos que nós portar como quem não teme, pois times cascudos como o Independiente sentem cheiro de medo de longe e se sentirem isto nos nossos jogadores será um atropelo. Teremos que marcar adiantado o tempo todo, mesmo que tenhamos vantagem no placar, pois para eles isto não faz diferença , eles seguem jogando da mesma forma ganhando ou perdendo.

                    Nossa torcida é que o Verdão traga um placar que, se não com vantagem ao menos reversível em casa. Eu acredito nisto.

                    Pra cima deles Índio Valente e Guerreiro que não se entrega sem lutar!!!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Creimm coa Zica!!!

             
             Não, ninguém ficou feliz com o empate, uma vitória seria incrivelmente importante para consolidar nossa briga na parte de cima da tabela, porém é muito importante se avaliar o contexto para não se desconsiderar a nossa boa campanha.

               Primeiro, o adversário faz uma campanha superior a nossa, joga certinho e veio preparado para enfrentar o nosso estilo de jogo, bote também na lista o fato de serem fortes no critério que somos mais fracos, bola aérea.

               Segundo, jogamos com uma defesa totalmente improvisada nas laterais e com uma zaga desentrosada. Não esquecendo isto podemos ver o quanto fomos bem estrategicamente por conseguir segurar ainda que não com força máxima um time de bom elenco e bem treinado.

               Ainda nos mantivemos a 3 pontos do primeiro fora do G4, com bom retrospecto fora vamos pegar o Grêmio em crise, não vai ser fácil, mas totalmente possível de pontuarmos e nos mantermos em uma boa colocação.

               Os dois gols foram falhas da nossa zaga, sabemos disto, mas não teremos como mudar as peças, o que temos é o que levaremos até a rodada 38 e se tudo correr bem, para as fases finais da Sulamericana...mas estes é assunto pra outro dia.

              Valeu meu Verdão. Não foi desta vez que tiramos esta pedra chamada Ponte Preta do nosso sapato.

sábado, 17 de setembro de 2016

Pra além da Ponte

               
                 O adversário de domingo está a 1 ponto da Chapecoense, mas a distância em classificação são quatro posições, uma vitória e estaremos no seleto grupo dos que já passaram os 40 pontos e brigam por G4. Não é nossa meta, mas de qualquer forma, não seria nada ruim depois de atingir a meta um que é a permanência, sonhar um pouco.

                  Este jogo é sem dúvida mais difícil que os últimos dois que tivemos, não pela camisa, mas pelo campeonato que a Ponte vem fazendo, é o time do interior com melhor campanha , o quarto mandante, tem o sétimo melhor ataque...porém nos alentar um pouco, são o décimo quarto melhor visitante e a décima quarta defesa.

                    O forte deste time são as jogadas aéreas, seus atacantes conhecemos bem, Roger e Potker não são exímios matadores, mas estão deixando os deles, portanto, nem pensar em faltas nas laterais da área ou frontais, uma vez que nossa defesa em bolas aéreas ainda deixa a desejar.

                     O Verdão está com moral, mas é claro que "águas passadas não movem moinhos". Vai ser preciso entrar totalmente focado e considerar esta partida como final se quiser atravessar a ponte que nos separa de lugares melhores.

                      Pra cima deles Índio!!!

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Parece notícia velha, mas não é....kkkkkk

                 
                    Caio Jr. armou o time com uma estratégia bem definida na cabeça, a mesma que sempre aplica fora de casa, cozinhar a partida no primeiro tempo e partir pra cima no segundo. A torcida não gosta e acha que deveria jogar do começo ao fim desta forma, se desse pode ter certeza que ele o faria, mas não dá.

                     Tudo o que se havia planejado parecia que iria por terra com um gol do Fluminense, na bola parada e aérea com direito a falha do Thiego aos 4 minutos de partida, neste momento o torcedor tricolor pensou "hoje não!!!", mas a Chape equilibrou o jogo e partiu em alguns bons contra-ataques, deixando a posse da bola com o Fluminense porém marcando forte.

                      Após se segurar como pode a Chape voltou para o segundo tempo com Cléber Santana organizando as jogadas e a partida ficou interessante com boas chances para o Verdão do Oeste, até que aos 27 minutos Denner em uma bela jogada empatou , aí o torcedor da casa pensou, "hoje não!!". A partida ficou intensa, com os dois times buscando o gol, Danilo bem como vem nas últimas fechou a meta Verde e Branca.

                     Arthur Maia saiu para a entrada do garoto da base Lourency brilhar, em dois contra-ataques dois mini ataques cardíacos na torcida pó-de-arroz, até que em um escanteio ensaiado casquinha para trás e gol do menino Lou ren cy para a virada, e a torcida do Fluminense admitiu, "hoje sim" se conformando com a freguesia.

                    Excelentes três pontos, muito importantes, mais 3 vitórias e podemos pensar em algo mais, se bem que imaginar queda agora é exagero de cautela.

                      Gracias Verdão....ops, já entrando no clima pra Sula...

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Freguesia que não conta

               
               A Chape já enfrentou o Fluminense 5 vezes, não perdeu nenhuma, venceu 4 e empatou uma partida. Fizemos 10 gols e sofremos 4. Um histórico destes facilmente cria um otimismo em qualquer torcida, mas é claro que isto serve apenas pra zoação entre torcedores, não entra em campo..ou melhor entra um pouquinho.

                Tenho certeza que os torcedores do tricolor carioca não engolem esta freguesia e estão loucos pra se livrar dela, tanto é que esgotaram os ingressos para este jogo. Claro que não é só por isto, este jogo pode colocar o time da casa na briga por uma vaga no G4, o que na verdade serve também para o Verdão do Oeste.

                Uma coisa é certa, se a Chape for pra lá pensando em um empate vai perder . Se o time se colocar dentro da área defendendo não vai aguentar a pressão os 90 minutos,porque é isto que certamente teremos, muita pressão.

                Caio Jr. está esboçando um time veloz, o que é certo para este tipo de jogo, marcar forte(pelamordeDio adiantado) e contra-atacar fazendo o Fluminense ter que se segurar um pouco atrás.


               Pra cima deles Índio!!!

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Assada ao sol

                   

                   Sob um calor raro nestes dias em Santa Catarina a Chapecoense encarou o Coxa tentando se manter longe da bagunça que está lá por perto do Z4 e conseguiu,

                     A estratégia foi a mesma de sempre com o Caio Jr. dar posse de bola, marcar firme, controlar o jogo até que uma oportunidade apareça. O calor do horário fez com que os dois times se poupasse e evitassem correrias desnecessárias, ambos só saíam na boa.

                     O primeiro tempo foi de muitas oportunidades, nas do adversário Danilo brilhou voltando a ser o paredão que nos fez trazê-lo pra Chapecó. Nas da Chape brilhou também o goleiro adversário.

                      O jogo no segundo tempo seguia o mesmo roteiro, boas defesas do Danilo e algumas chances para a Chape que de tanto insistir acabou abrindo e fechando o marcador com um gol do Kempes que está cada vez mais confiante e atacante com confiança é sempre bom.

                       Três pontos dentro do planejado para esta partida. Valeu meu Verdão, muito obrigado Danilo.

domingo, 11 de setembro de 2016

Atitude minha Chape

                   

                        Mais uma pedreira pra Chape quebrar. Confronto historicamente equilibrado, nos últimos 5 encontros 2 vitórias pra cada lado e um empate.
     
                        O Coxa foi o time contra o qual estreamos em 2014, um empate em 0x0. Sempre partidas equilibrada, a última lá na capita paranaense vencemos por 4x3 em um jogo bastante aberto. Agora não acredito que será diferente, eles vem de uma grande vitória contra um dos times postulantes ao G4 e nós queremos chegar logo aos 45 pontos para poder pensar em outras metas.

                         Caio Jr. vai provavelmente rever a postura de recuar o time em excesso, uma vez que houve por parte da diretoria um descontentamento com relação ao empate contra o Santa. Uma indicação disto é o provável ataque com Kempes e Bruno Rangel(o gol de empate na última partida foi um pênalti sofrido pelo Kempes após uma linda tabela com Rangel).

                          Ganhar esta partida em casa é fundamental, não dá para perder pontos para times que brigam na parte de baixo da tabela, muito menos em casa. Mas o torcedor tem que ir para apoiar sem achar que pelo time estar abaixo da Chape teremos um jogo fácil.

                           Atitude, por parte dos jogadores e da torcida, isto vai nos dar 3 pontos importantes.

                    PRA CIMA DELES ÍNDIO!!!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Torcer pra Chape

           

             A Chapecoense tem uma proposta de jogo fora de casa, se o torcedor gosta ou não, concorda ou não, isto é um fato. Marcar forte e contra-atacar. Seria tudo muito bom se a nossa zaga passasse segurança, mas não é o caso neste 2016.

              O Santa Cruz começou pressionando, isto era esperado pela necessidade gigante que eles tem de se recuperar rápido, tudo indica que cairão, mas vão lutar enquanto isto não se concretizar matematicamente, principalmente em casa. A Chapecoense conseguiu se defender sem muitos sustos até chegar ao seu gol e assim segurar até o final do primeiro tempo.

               No segundo tempo a Chapecoense não só se defendeu como recuou demais, existe diferença apesar de muita gente não saber, este recuo exagerado criou muita pressão por parte dos donos da casa e eles acabaram abrindo aos 11 do segundo. Logo em seguida tiveram um jogador expulso e mesmo assim conseguiram a virada. Quando parecia que voltaríamos sem ponto algum pro Oeste, Bruno Rangel de pênalti deixou tudo igual.

                 Nenhum dos dois lados saiu de campo feliz, o único consolo, se é que serve é que poderia ter sido pior...

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Cobra mal matada

               
                   Sabe aquele tipo de jogo que parece, mas não é? Então, esta partida contra o Santa Cruz é uma destas. Parece tranquilo, mas não é. Parece que dá para jogar em 50% , mas não dá. Parece que é só cumprir tabela contra um time que já se entregou, mas está longe disto.

                   Ainda mais do que toda estratégia, técnica e pontaria, este é o tipo de jogo onde o psicológico tem que ser bem trabalhado previamente. A liderança do time, começando pelo técnico e sua comissão, vai ter que convencer os jogadores a irem além do batido discurso de "respeitamos todos os adversários" que muitas vezes não passam de palavras da boca pra fora e realmente incutir na mente deles que o Santa Cruz, é uma cobra "mal-matada", apesar do momento do adversário ser muito ruim, 8 pontos nos últimos 30 disputados, apenas 4 vitórias em casa até agora das 11 partidas disputadas(perdeu 7 sendo o segundo pior mandante) , ainda vai picar muita gente que der mole.

                    Temos desfalques importantes(Martinuccio e Hyoran), além de jogadores que caíram de produção como o Gil por exemplo, mas os que estão sendo escalados tem que dar conta do recado e aproveitar a oportunidade, estamos a 5 vitórias da série A 2017 e esta primeira meta tem que ser cumprida logo para nos dar a possibilidade de focar em outras maiores.

                      O mínimo que a torcida espera desta partida contra o Santa Cruz lá, é um ponto, que de antemão já aviso para os cornetas que não virá de mão beijada, os que vestem verde terão que trazer as camisas suadas pra Chapecó se quiserem isto ou algo mais.


                       Pra cima deles Índio!!!

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Com sofrimento

             
 
             Havia falado anteriormente que confiava na classificação, aliás no dia mesmo que perdemos lá em Cuiabá falei isto. Porém quando os visitantes abriram o placar deu um frio na barriga, por quê? Não conseguia lembrar a última vez que havíamos marcado 3 gols em uma partida e estávamos com o Rangel a frente que não vinha em boa fase.

                O primeiro tempo terminou e a cada minuto que passava do segundo tempo a possibilidade de um fiasco em casa ia se tornando real, até que Artur Maia que havia entrado ainda cedo no primeiro tempo devido à lesão do Hyoran, meteu uma linda bola na trave que sobrou para Lucas Gomes botar pra dentro de cabeça depois o que era temor virou festa quando Bruno Rangel voltou a fazer aquilo que sabe fazer de melhor, aproveitar as oportunidades dentro da área, duas vezes ele.

                Não estamos jogando o fino da bola, infelizmente dois dos nossos jogadores mais habilidosos estão lesionados e nosso ataque, apesar de estar marcando gols deixa a torcida insegura, para nossa sorte, quando a fase de um está ruim, outro consegue suprir.

                 Agora é aguardar qual será nosso adversário argentino, qualquer um que passar vai ser pedreira, mas isto é assunto pra outra hora, o importante é que não fizemos o mesmo que o Figueira...

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Agora sim...é OBRIGAÇÃO!!!

                     
                      Se no jogo contra Flamengo e na primeira partida contra o Cuiabá onde fomos com os reservas eu dizia que discordava de quem dizia ser obrigação vencer, inclusive citando as várias variáveis que influenciariam a partida contra os Rubro Negros principalmente, desta vez falo categoricamente, é obrigação da Chape vencer, vencer bem e passar de fase na Sul-Americana.

                        Nenhuma explicação ou desculpa pode ser aceita em qualquer resultado que não seja a vitória sem sustos do Verdão do Oeste nesta quarta-feira.

                        Quanto a partida contra o Flamengo, apesar de não termos feito uma belíssima partida, não tenho nada a reclamar quanto a postura do time. Vi o time aguerrido, tentando e conseguindo chegar a área adversária e se defendendo com muita dedicação contra um time tecnicamente superior e candidato ao título.

                         Perder em casa é sempre ruim, mas está longe de ser um absurdo, basta dar uma olhada na campanha dos líderes do campeonato para ver que nem eles estão isentos de tropeços em casa e convenhamos perder para a turma do G4 é algo que acontece.

                          Sei que tem gente que tem dificuldade para ver a diferença entre "eu entendo" e "eu aceito", entendo que estas derrotas podem acontecer, algumas vezes aceito e outras vezes não.

                          Agora é hora de focar nos objetivos a curto prazo para atingir os de longo prazo. Apoio total na quarta.

domingo, 28 de agosto de 2016

Obrigação de vencer?

               
               A Chapecoense poupou 100% dos seus titulares para a partida contra o Flamengo, estratégia que eu considero correta. A comissão técnica sabia do risco quando tomou a decisão de enfrentar o Cuiabá pela Sul-Americana com um time todo reserva, tinha-se a exata noção de que dificuldades seriam encontradas mesmo jogando contra um time de série C nestas condições e mesmo assim derrota por um gol não é nada irreversível , principalmente em casa.

                 O problema começa quando parte da torcida começa a achar que , como poupou jogadores tem obrigação de vencer o Flamengo nesta partida, não tem. A obrigação deste time é entrar com muita vontade, comendo a bola e correndo até o último minuto dos acréscimos para buscar o resultado. Sabemos que jogar contra Flamengo e outros grandes do brasileiro, não é apenas uma partida de futebol, vários fatores entram em campo.

                   Teremos que ter paciência na arquibancada e entender que é muito provável que a arbitragem "penda" para o lado rubro negro, não digo que com má intenção, ou comprada, simplesmente por um condicionamento de décadas criado pela mídia principalmente. Portanto, apoiar o time como em uma final de campeonato e criar um clima hostil(sem violência é claro) vai ser essencial para empurrar o Verdão do Oeste.

                     Já os vencemos antes, podemos vencer novamente. Pra cima deles Índio!!!!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Pés no chão e adelante

               
                 Primeiramente "que jogo ruim", fazia tempo que não me entediava tanto vendo uma partida de futebol. Em segundo lugar o resultado que eu esperava era mais ou menos este,não a derrota especificamente, mas um resultado magro de 1x0 pra qualquer um dos lados ou um empate por 1x1 ou 0x0.

                 Sei que tem torcedores que "torcem" o nariz(desculpe a redundância) pra um pensamento mais ponderado, mas o fato é que poderia encher algumas folhas com resultados como estes de times melhores tecnicamente que são superados em um primeiro confronto fora de casa nas mesmas condições que a Chape foi para este jogo, mas vou citar apenas um exemplo dentro de casa, Copa do Brasil 2010, o Verdão fazia uma campanha pífia no Catarinense, lutando contra o descenso e aos trancos e barrancos na série C conseguiu encarar  Atlético/MG(que veio completo) vencendo por 1x0 em Chapecó.

                 Tirando o azedume de quem acha que o time tem que vencer sempre(tem a opção de torcer pelo time de basquete Norte Americano), o resultado é totalmente reversível.

                  Não tem como avaliar esta partida tirando do foco o fato da Chapecoense estar com um time 100% reserva, que apesar de individualmente ser melhor tecnicamente, não tem como conseguir um entrosamento necessário para boas jogadas de gol(não agredimos nada) e mesmo defensivamente(demos boas oportunidades).

                   Se quisermos passar e eu acredito firmemente que vamos, teremos que jogar sério e quando eu falo sério quero dizer jogar com o que temos de melhor e partir pra resolver o jogo nos primeiros 20 minutos.

                   Agora vamos nos preparar para encarar um jogo dificílimo contra o Flamengo....

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Sem bobeira...é mata-mata

                 
                   Ontem o Flamengo levou uma sapecada do Figueirense, o São Paulo foi surpreendido em casa pelo Juventude , duas competições diferentes com algo em comum, são mata-mata e uma bobeira pode se tornar irreversível.

                    A Chapecoense vai com time todo reserva enfrentar o Cuiabá, que apesar de não estar bem colocado na série C vem se recuperando e fazendo alguns bons jogos. O fato de estar na série C e não estar em boa fase, não serve como motivo para ir de sangue doce para o Mato Grosso, nós mesmos já protagonizamos resultados improváveis na Copa do Brasil contra grandes quando estávamos na mesma situação.

                   Para o Cuiabá pode significar um passo histórico além de uma boa grana , o que sabemos que para times menores faz uma baita diferença. Sabendo disto, imaginamos que os jogadores de lá, vão fazer desta partida uma final e jogar com tudo o que tem.

                    Pesa contra o Verdão do Oeste a falta de entrosamento em um time totalmente reserva, isto vai ter que ser compensado com disciplina, calma e inteligência. Não sou defensor do tal "obrigação de vencer" pelo Cuiabá ser inferior,uma partida tem muitas variáveis que vão além da qualidade técnica, tem erros de arbitragem, goleiro adversário no melhor dia da vida e carreira, mal dia de um atacante, trave e etc. Mas jogar com seriedade, responsabilidade e buscando o resultado, isto sim é obrigação sempre.

                    Se não for possível vencer, o que se deve buscar é um placar que seja possível reverter em casa. Acredito que passaremos de fase sem muitos susto, mas é bom ficar de olhos bem abertos.

                     Pra cima deles Índio!!!

sábado, 20 de agosto de 2016

Pra ir além(Comparativo)

             
                Caio Jr. após a segunda vitória consecutiva disse que a Chape, com os pés no chão, pode sonhar mais alto neste Brasileirão. Se não fizemos uma partida primorosa ontem ao menos garantimos os 3 pontos e começamos a perceber quem deve ou não ser o time titular do Verdão.

                 É possível sonhar com algo a mais conforme disse o Caio? Se formos nos basear nos números dele em comparação com os do Guto, acredito que sim.

                                                             COMPARATIVO

                 Jogos    Vitórias      Empates     Derrotas       GP                GC            Aproveit

GUTO         11           3                  6                  2            1,54/jogo      1,63/jogo         45,45%

CAIO          10           4                  3                  3             1,2/jogo       1,6/jogo             50%




             Importante ressaltar que o Caio pegou o time no meio do campeonato, diferente do Guto que teve todo o Catarinense para colocar o seu estilo no time, além do fato do Caio ter pegado uma sequência dificílima no final do turno.

             Sobre o jogo de ontem uma coisa está clara, Cléber Santana e Gil precisam de uma conversa ao pé do ouvido e talvez passar pelo mesmo banco que fez bem para o Danilo e o Martinuccio quando estiver 100% pra pelo menos um tempo vai fazer ainda mais diferença do que já vem fazendo.