terça-feira, 14 de novembro de 2017

Mais que um sonho

             
               Não resisti, preciso falar da Chape.

               Que ano meus amigos, tudo indicava que seria difícil, muitos jogadores emprestados que oscilaram quase que constantemente, indo de heróis a vilões a cada rodada, de ponta a ponta no campo e realmente foi um ano complicado.

                O estadual com bi-campeonato veio, mas por pouco não foi perdido dentro de casa, contando com uma falha grotesca do ídolo avaiano. Depois uma eliminação fora de campo na Libertadores unindo uma falha interna com a má vontade da Conmebol e uma Sul Americana com participação longe em qualidade e garra da anterior.

                 Então veio a principal competição, a que mantém o clube crescendo e podendo planejar o futuro e iniciamos como o "Leicester" brasileiro(zica desgraçada e nem partiu daqui do Oeste) e depois tivemos uma sequência muito ruim que culminou com a correta demissão de um desinteressado Mancini, porém seguida da inexplicável contratação do Eutrópio que nos levou a um caos ainda maior e um frio na barriga pela possibilidade real de descer pra B.

                 Ontem porém, ainda que não matematicamente a Chapecoense voltou a mostrar para o país o espírito de Condá que vem mantendo um clube de uma cidade do interior de um estado pequeno na representação do futebol nacional. Dominou o Santos e garantiu, ainda que não matematicamente a permanência por mais um ano entre os 20 melhores clubes do país.

                 Precisava falar deste orgulho, precisava falar desta alegria que o Verdão sempre proporciona àqueles que seguem acreditando sempre e que apesar das dificuldades continuaram firmes.

                  Quem venha 2018 e que possamos voltar a surpreender o Brasil e o mundo.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Adios indiada

         
            Tudo na vida tem seu momento e há tempo para tudo, não lembro exatamente a data, mas faz uns 10 anos atrás que o blog GoldaChape me convidou para escrever sobre o Verdão do Oeste, naquele tempo o costume eram longos debates nos comentários da postagem e como a gente se divertia...

             Em 2011 veio o convite do DC para o projeto Passionais da Chape onde a ideia era "inticar" o torcedor dos times rivais de SC e foi ainda mais divertido, nesta época o Face já era a preferência para se comentar sobre futebol e poucos ainda utilizavam os comentários diretos nas postagens, mas a ideia seguia a mesma, falar da paixão.

             No final de 2014 o contrato com o Diário Catarinense terminou e eu resolvi continuar escrevendo minhas opiniões sobre o Verdão do Oeste e criei o FalaDaChape, sempre procurando manter o tom otimista sem deixar de falar o que era preciso para o Verdão.

              Hoje encerro esta minha participação como "blogueiro", imaginando que de alguma forma contribuí para uma visão mais "positiva" da nossa Chapecoense, para incentivar os que apoiam mais do que jogam pedras, afinal o equilíbrio é essencial pra tudo na vida.

               Agradeço aqueles que me acompanharam durante estes anos, 115.379 visualizações aqui neste espaço, 300 visualizações em média por postagem, pouco eu sei, mas para alguém que não é profissional e não vive disto, considero muito valioso.

               Orgulho e prazer de ter acompanhado e comentado todo o crescimento do nosso Verdão, alegrias enormes e uma tristeza gigante pela tragédia e a certeza de torcer para um time que representa um povo.

                Obrigado de coração pela paciência!!! Continuaremos nos vendo nas redes sociais. Abração.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Cairemos?

         
            A Chapecoense começou a série A a todo vapor, foi líder, manteve a posição no G4 por algumas rodadas e dava a impressão de que tiraria de letra a primeira meta de todo time catarinense na série A, permanecer. Porém as coisas foram desandando aos pouquinhos, com a eliminação do time da Libertadores, a queda de desempenho, lesões, falta de convicção da diretoria e do técnico.

            Derrotas e empates inesperados fizeram a Chapecoense encerrar o turno batendo na porta do Z4 e assim como as primeiras 10 rodadas do turno eram previstas como difíceis, as primeiras 10 do returno passaram a ser decisivas. (Palmeiras(f), Corinthians(c), Avaí(f), Cruzeiro(c),Grêmio(f), Ponte Preta(c),                              ), o mínimo aceitável nesta primeira etapa são 13 pontos, o que nos deixaria com 35 e precisando buscar pelo menos mais 9 ou 10 nos últimos 27 disputados.

              Se não fosse esta falta de perspectiva que se vê em um time comandado por um técnico burocrático, que não inspira ninguém, poderíamos cravar como certa a permanência da Chape, o time, apesar de limitado, está longe de ser pior que os outros 7 que vão brigar contra o descenso (Atlético/GO, Avaí, Vitória, Ponte Preta, Coritiba, Bahia, Vasco). Um pouco mais de "ânimo" e estaremos novamente na série A de 2018.

               Não joguei a toalha, nunca jogo, sou otimista com os pés no chão, menos que 35 pontos até a rodada 29 eu não estarei no grupo que vai gritar "Eu acredito" no estádio, pois a lógica vai me impedir de fazer isto.

               Sei que pode soar pessimista, mas sem uma mudança radical, técnico e presidente, acho difícil encontrarmos o rumo. Maninho foi e é importante para o Verdão, mas não tem nem cacoete de presidente de um clube de futebol.

               Desculpem o desabafo....

sábado, 5 de agosto de 2017

Ai meu coração!!!

         

           A Chapecoense está dividindo o sentimento dos seus torcedores, se por um lado teremos a possibilidade de assistir um jogo histórico, valendo taça, diante de um dos maiores clubes do mundo, se não for o maior, por outro teremos um dia antes uma partida importantíssima para nossas pretensões de cumprir a maior meta do ano, permanecer na série A.

           Jogar contra o Barcelona e não ser goleado, para um time do nosso porte, já será uma vitória grandiosa, aí você pode dizer "mas ah Jean, não dá pra ser pessimista, vai que a gente faz uma gracinha lá", gente, sendo bem otimista a gente perderá por menos de 3, estou sendo realista. Portanto este jogo vale apenas como exposição do clube.

            A partida contra o Coritiba por outro lado é bem mais complicada, pois vale 3 pontos e nosso histórico lá, tirando a goleada do ano passado onde vencemos por 4x3, não marcamos nenhum gol jogando na capital paranaense nos outros dois jogos(3x0 e 1x0). Enquanto a gente vem de uma derrota para o lanterna e um empate para um time abaixo de nós na tabela(ambos em casa) eles vem de um empate fora contra o Flamengo e uma vitória importante fora de casa contra o São Paulo ,para piorar estamos com a mesma pontuação disputando posição.

             Independente do resultado a ida para Barcelona será histórica, o mesmo não vale para a ida para o Paraná, uma derrota apesar de não nos colocar no Z4, vai nos deixar com uma missão dificílima para o returno, uma vitória aliviaria bem a tensão.

            Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Tudo ou nada

             
                  O jogo em si contra o Bahia não parece complicado, nosso histórico, lá e cá e de vitórias, o time deles acaba de mudar de técnico e não vem bem, porém a Chape vem se mostrando inconstante.

                  Não bastassem nossos pequenos problemas, que devem ser acertados com a chegada dos reforços, temos ainda uma rodada em que tudo pode ficar ainda pior em caso de derrota, uma vez que os times que estão abaixo do Verdão na tabela, vão se enfrentar e podem empurrar o nosso mais para baixo ainda.

                 O São Paulo pega o Coritiba, qualquer um que vencer nos ultrapassa, O Atlético pega, em casa, o Avaí, vencendo também nos ultrapassa, perdendo, deixa o rival estadual na nossa cola, o Fluminense, fora de casa pega o Sport, caso vença ou empate nos tira uma posição. Sem contar é claro com o próprio adversário desta noite que também nos ultrapassaria.

                   Quero acreditar que o jogo passado foi um cochilo, uma moleza pela ressaca da classificação na Sul Americana. É jogo para botar tudo o que se tem em campo e não aceitar outro resultado que não seja a vitória. Eutrópio não é do tipo motivador, logo, vai ter que compensar com grande acerto tático e nas mexidas durante o jogo. Perder não é uma opção e empate é para se lamentar muito.

                   Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Síndrome do "Jogo fácil"

             
                 Em 2015, a Chape vinha de uma vitória épica sobre o River Plate em casa por 2x1,  na sequencia pegaria o Atlético/PR que vinha mal das pernas no Brasileirão,a torcida esperava um atropelamento, o que aconteceu foi um frustrante empate em 0x0.
                 No ano seguinte, após uma classificação também histórica sobre o Independiente de Medelin enfrentaríamos em casa outro time capengando, o Vitória, novo atropelo esperado pela empolgada torcida e o que levamos foi uma sapecada de 1x4 na nossa casa.

                  A Chapecoense tem vivido esta "Síndrome do jogo fácil", os jogadores que vem para cá parece que se contaminam com ela facilmente. O time começa mostrar melhoras, desenvolver um futebol razoável, mas basta pegar um time abaixo na tabela, ou logo após uma excelente apresentação, que parece que as pernas amolecem. Foi o que vimos contra o Atlético/GO.

                  Tenho mais dezenas de exemplo que não vou escrever aqui, porque acho que já mostrei meu ponto. Todo mundo lembra do Imbituba, Juventus, Almirante Barroso... Basta a gente esperar que o resultado seja o óbvio que o Verdão vai lá e faz o contrário.

                    Desta vez não mudamos a escrita, após uma classificação na Sula, que nos encheu de orgulho, lá foram os jogadores dormindo enfrentar o lanterna e favorito ao rebaixamento e deu no que deu.

                    Agora teremos Bahia em casa e Coritiba fora, menos que 4 pontos nestas duas partidas, podem preparar o coração, sofreremos muito no returno.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

De nuevo soñar

               
             Mais uma vez o Condá vai ser pintado de verde e branco para receber os hermanos argentinos para uma disputa de tirar o fôlego. Começaremos a partida eliminados e teremos 90 minutos e mais um pouco para reverter a situação, fazendo dois gols de diferença , caso consigamos apenas devolver o resultado da ida, testaremos ainda mais nossos corações coma  disputa de pênaltis.

                O adversário mudou muito desde o primeiro confronto, a começar pelo técnico e passando por vários jogadores destaques. Portanto a única coisa que veremos se repetir em campo é a já conhecida garra e entrega argentina. Eles estão com um aproveito de 53% no campeonato nacional, com 14 V, 7 E e 9 D, sendo que vem de 4 vitórias seguidas e durante todo campeonato perderam apenas 3 vezes por 2 gols de diferença(osso duro de roer).

                 Do lado verde e branco, também mudamos de técnico e estamos em uma melhor fase do que aquela que estávamos quando perdemos de 1x0 lá. A classificação não é obrigação da Chape, mas seria um passo muito importante para consolidar a recuperação, além é claro de trazer $$$ para nossos cofres.
   
                  Ainda dói a eliminação da Libertadores por um erro burocrático da Conmebol, aliado à falta de experiência e de bom senso do nosso presidente. Mesmo assim, a torcida não deve levar isto para campo, é outra competição e temos chances reais de seguir adiante, mas será preciso aquele apoio irrestrito durante a partida.

                  Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!
               

terça-feira, 18 de julho de 2017

Caiu na rede,é ponto...

             
                 ...mas não vai ser nada fácil.  Nosso histórico contra eles é bastante desfavorável, parece que não conseguimos ainda aprender um jeito de enfrentar os paulistas do litoral. Foram 6 confrontos até hoje, apenas uma vitória do Verdão em Chapecó e lá perdemos todas as 3 que jogamos e para piorar sempre levamos pelo menos 3 gols.

                  Apesar da vitória que nos deu certo alento na rodada passada, sabemos que ainda estamos reorganizando o time pós-Mancini, voltando ao velho estilo brigador na defesa e meio de campo, porém cientes de que isto leva tempo para encaixar. Para piorar um pouco mais, o Santos vem fazendo um bom Brasileirão e vai lutar com unhas e dentes para se manter no G4.

                   Os reforços ainda estão se preparando e também vão precisar se adaptar ao time, então mesmo que entrem no BID , pouco provavelmente serão utilizados de cara. Vamos com o que temos e devemos manter a postura "cautelosa", nada de todo mundo pra cima do adversário. Se trouxermos um ponto de lá, já terá sido um baita resultado, na verdade será inédito.

                   Somar pontos é o que importa no momento, colocação na tabela vai importar apenas no final do campeonato.

                    Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Valeu o apoio

             
             Qualquer torcida consegue criticar, ofender, agredir, mas a torcida verde e branca, mais uma vez fez diferente,foi receber o time no aeroporto após a derrota para o Sport com apoio e incentivo. Sabendo que na próxima partida teríamos um time bastante mudado e enfrentaríamos um time qualificado e precisando vencer.

              O primeiro tempo não ajudou a melhorar a expectativa de sair da situação incômodo de estar às portas do Z4, pouca produção do Verdão do Oeste e um 0x0 que trazia o medo de mais um revés dentro de casa que nos colocaria em uma situação ainda mais delicada.

               Veio o segundo tempo e vimos a mão do Eutrópio, a substituição no ataque deu resultado rápido, após dois minutos em campo Túlio de Melo abriu o placar de cabeça. O São Paulo tentou equilibrar o jogo com lampejos individuais porém sem sucesso, até que nos acréscimos viu Lucas Marques ampliar e dar o placar final da partida.

                 O jogo não foi bonito, mas como dizem, "até os quero-queros da Arena sabem" que o mais importante agora é somar pontos enquanto o time não se acerta 100%, precisamos de pelo menos mais 6 pontos até o final do turno, dá para fazer mais.

                   Se o Eutrópio fizer o básico, jogar sem se jogar para cima dos adversários feito um bando, poderemos nos manter na série A sem muito susto.

                    Destaque para a presença da torcida, apesar do momento ruim, não abandonou o time. 99% das vezes, apoiar faz mais diferença para o bem do que vaiar e protestar. Protesto deve ser guardado para time sem raça , nem de perto é este o caso desta Chapecoense de 2017.

                     Valeu meu Verdão!!!!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Calma Leão

              
               A Chapecoense tem um histórico muito equilibrado jogando contra o Sport, em 10 jogos, desde 2013, são 4 vitórias para cada lado e 2 empates. Vários destes jogos com pelo menos 3 gols, nossa maior pancada foi em 2016, no jogo da despedida do Guto, 5x1 pra eles. Porém nossa primeira visita à Ilha do Retiro foi uma virada fantástica no finalzinho do jogo.

                Sobre momento, eles estão em alta e nós tentando nos equilibramos para ficar longe da parte inferior da tabela. Mesmo assim, a diferença é de apenas 3 pontos entre nós.

                  Eutrópio vai buscar fechar um pouco mais o time provavelmente pelo que deu indicações na partida anterior e isto é o correto, pelo menos para o momento. Qualquer ponto lá será bem vindo e se surpreendermos os rubro-negros na sua casa daremos um bom salto.

                    Hoje Rossi se despediu do Verdão, teve bons e maus momentos com a nossa camisa , mas de qualquer forma podemos dizer que cumpriu bem a sua função. Vontade não faltou. Obrigado.

                    Vários nomes chegando, principalmente para o ataque, o que dá um certo alento, mas como sempre gosto de enfatizar, são contratações, só saberemos se são "reforços" depois que jogarem.

                     Será que entraremos em uma nova maré? Tomara que sim.

                     Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!

terça-feira, 11 de julho de 2017

Mudando o rumo?

               
                A chegada do Eutrópio ainda não fez efeito, calma torcedor, qualquer um que acompanhe futebol sabe que resultado logo na chegada tem mais a ver com acaso do que propriamente com mudanças feitas pelo novo "professor".

               
                O Verdão apresentou no início do jogo contra o Atlético/PR o mesmo "apagão" que vinha acontecendo na era Mancini, levando um gol antes de 2 minutos. Depois disto o time jogou relativamente bem, mas ainda apresentando um certo desequilíbrio nas ações defensivas.

                 Apesar de bastante posse de bola e pressão a finalização ainda segue sendo o calcanhar de Aquiles do ataque do Verdão, que cria boas possibilidades mas não tem uma boa direção na conclusão. Para isto a Chape está trazendo atacantes e meia-atacante tentando mudar este cenário.

                 Nossa reza é para que o Eutrópio de 2017 seja diferente do de 2015, que apesar de conhecer muito na teoria, tinha grande dificuldade de incutir em seus comandados o espírito e a alma Chapecoense de luta. Apesar de não estar entre os que faze o coro de "falta de raça" quando as coisas não vão bem, até porque este não é de forma alguma o nosso problema, lembro bem que chamava a Chape do Eutrópio de "operários padrão"(aqueles que não fazem o suficiente para serem promovidos e nem deficientes o suficiente para serem demitidos).

                  Teremos até o fim do turno, São Paulo, Atlético/GO e Bahia, qualquer coisa menos que 7 pontos será bastante preocupante para o restante da competição. Sport, Vitória, Santos e Coritiba fora teremos que vencer pelo menos uma, ou não perder nenhuma, fechando assim com 25 a 26 pontos para buscarmos outros 20 no returno.

                    Vamos, vamos Chape!!!

                 

             

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Segura na mão de Deus...

                 
                   Semana conturbada na Chapecoense, o que todos temiam está em curso dentro do Clube, a dificuldade da nova diretoria manter os altos padrões da diretoria passada. Apesar de imaginarmos que isto poderia, ou viria a acontecer, no fundo tínhamos a esperança de que fosse um pequeno abalo e não um terremoto.

                     Também sabíamos que a grande exposição nos colocaria na "boca do povo", ou seja, agora temos milhares de "opinadores" na gestão da Chape, até a simples demissão de um técnico que vinha apresentando uma sequencia de maus resultados é colocada no tribunal das redes sociais para julgamento. O que nós torcedores podemos fazer?

                      1°- Não nos deixarmos levar pela onda de pessimismo
                      2° - Lembrarmos do nosso papel principal que é apoiar.
                      3° - Não passar "disque me disque" pra frente(fofocas)

                      Domingo enfrentaremos o Atlético/PR que não vem em um bom momento, além disto enfrentaremos também a desconfiança frente ao nosso novo técnico Vinícius Eutrópio(quem me acompanha sabe que é o único até hoje que eu cornetei). Porém, vou deixar de lado minhas "convicções" quanto a ele e apoiar, pois o sucesso dele é o nosso.

                       Nossa esperança é que ele tenha observado, estudado e descoberto o óbvio dentro do time, que não podemos querer encarar times melhores de igual pra igual e de forma alguma podemos deixar espaço no meio de campo para os adversários criarem, principalmente dentro dos nossos domínios.

                       Boa sorte Eutrópio, boa sorte Chapecoense, boa sorte diretoria(falaremos sobre em outra ocasião).

                        Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Desespero?

           
             Ainda não, apesar da situação ruim, estamos vendo um campeonato muito equilibrado que está vendo uma dança das cadeiras nas posições da tabela. O 16° colocado, primeiro fora da zona de rebaixamento está a 5 pontos do primeiro dentro do G4 e a 4 pontos do G6.

              A Chape, com 13 pontos, está a 3 do G4 e a 3 do Z4, e a rodada não é favorável, vamos encarar o Fluminense fora de Chapecó e em uma sequência negativa. Historicamente o Fluminense tem tido dificuldades com o Verdão do Oeste, mesmo assim, fica difícil contarmos com pontos vindo de lá levando em consideração nosso momento. A hora da virada já passou do ponto, era para ter sido contra o Galo aqui.

              Reforços estão sendo especulados, nenhum nome de impacto, mas muito melhor do que apenas esperar. O que resta é torcer e apoiar os que chegarem para que tenhamos um bom elenco e não apenas um time que oscila cada vez que uma ou duas peças se lesionam ou são punidas.

               Pessimismo e otimismo gastam a mesma energia, tem muito campeonato pela frente e "crise" acontece principalmente se a torcida entra na pilha de encarar o que acontece normalmente com times de futebol do nosso porte, como algo "absurdo". Não é. No nosso melhor ano, 2016, vencemos 13 vezes(39 pontos) os outros 13 pontos vieram de empates.

                 Qualquer ponto será bem vindo, o que precisamos é deter a sequência de derrotas.

                  Vamos, vamos Chape!!! Pra cima deles Índio!!!

terça-feira, 27 de junho de 2017

Vamos sonhar outra vez

                 
                   Sim, apesar de ser realista, também sigo sonhador. A Chape é o meu time por isto mesmo, sempre me deixa sonhar. Mesmo quando não tínhamos série e enfrentávamos algum gigante nacional na Copa do Brasil, ou quando íamos passo a passo para uma final do estado contra times mais estruturados, eu sonhava durante toda a campanha.

                    Ano passado vimos o sonho se realizar, adversário após adversário vencido na segunda maior competição internacional do continente e chegamos ao título, ainda que com uma perda inimaginável.

                    Começaremos a caminhada na Argentina, contra o Defensa y Justicia , que apesar de ter sido fundado em 1935, só teve sua primeira participação nacional em 1985 na primeira B e somente em 2014 chegou à primeira divisão.  No momento tem 54% de aproveitamento no campeonato Argentino(14 vitórias,7 empates e 9 derrotas).

                     Sabemos o que esperar no quesito entrega, independente de série ou situação, os times argentinos entregam qualquer resultado de forma cara, portanto é preciso atenção e dedicação dos nossos jogadores do início até o apito final.

                     O momento da Chape é ruim, mas sabemos que geralmente cada competição é uma história diferente, Importante mesmo é não voltar, no mínimo, com um resultado que seja difícil demais para reverter e por que não com um resultado que nos dê vantagem?

                     Perdemos a última no Brasileirão, revolta de parte da torcida, alguns de forma equivocada cobrando "raça", o que eu não estou vendo faltar, outros corretamente cobrando mudanças, o que realmente é preciso pois o time está jogando um futebol pobre e manjado pelas laterais e insistindo demais do tal do "latereio", tá feio de assistir. Ou o Mancini se reinventa ou vai encontrar o caminho da rua.

                      Vamos, vamos Chape!!! Em busca do sonho.

sábado, 24 de junho de 2017

3 pontos...urgente

           
             Que sapecada levamos, 5 gols no lombo, não é fácil recuperar a confiança depois disto. Tudo bem que o Flamengo fora de casa historicamente é complicado, mesmo assim, facilitamos demais a vida deles. Mancini está agindo como aquele jogador na mesa de pôquer que tenta recuperar o dinheiro perdido nas mãos anteriores, fazendo exatamente a mesma coisa o tempo todo, arriscando ainda mais.

              O estilo de jogo da Chape sempre foi de muita marcação, isto é uma marca registrada histórica. O que vem se tentando é fazer a Chape jogar solta, atacando o tempo todo, tudo bem, isto funciona contra times medianos, mas contra times mais qualificados isto é suicídio. Portanto mudar é preciso. Não falta qualidade e nem raça a estes jogadores que estão vestindo o manto verde e branco, apesar de parte da torcida sempre enveredar por este caminho mais fácil de dizer que está faltando vontade e que não estão "honrando" os que se foram.

               Vamos enfrentar um time alternativo, porém de qualidade, sabemos que quando esta chance é dada, os jogadores dão o dobro de si para buscar um lugar entre os titulares, então, nem esperem facilidades, será preciso muita organização, confiança e empenho para buscarmos estes 3 pontos que agora se tornam urgentes.

                 O histórico contra o Galo em casa não é ruim, 3 vitórias e 2 empates em 5 confrontos, temos que ir confiantes apoiar o Verdão e gastar nossa voz empurrando como sempre fazemos a hora de reequilibrar é agora.

                  Vamos, vamos Chape!!!!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Posição ou pontuação?

           
            A Chapecoense está com 54% de aproveitamento, mas como começou o campeonato com um aproveitamento superior, ainda se mantem na metade de cima da tabela, mesmo sem ter jogado ainda na rodada. Situação que pode mudar na partida de hoje, para o bem ou para o mal.

            O que importa na verdade, muito mais do que a posição na tabela neste momento, é a pontuação, uma coisa que pode ou não estar ligada na outra. Posição na tabela não depende apenas do desempenho do time, depende também do desempenho dos demais adversários, um tropeço do Verdão aliado a tropeços de outros times pode nos manter no alto da tabela. Já a pontuação vai definir a posição na rodada 38, que é a única que nos importa afinal.

           A Chapecoense precisa somar pontos, isto é óbvio, a questão é que devemos aproveitar os que são mais prováveis e comemorar muito os improváveis. Contra o Flamengo é um destes casos, jogam em casa, vem em crescente, tem poder de investimento superior e a gente sabe como funciona arbitragem com Corinthians e Flamengo contra times menores e nem estou falando de resultado "arranjado" ou "combinado", apenas que na dúvida é tudo "pró" o maior.

            Nosso retrospecto não é bom, apenas uma vitória em casa em 6 confrontos e um empate fora, portanto, qualquer coisa que vier deste jogo, é aceitável, menos é claro, jogar sem dar o máximo.

           Vamos, vamos Chape!!!!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

De olho na meta

       
          Derrota para a Ponte Preta, vitória sobre o Vasco e derrota para o Botafogo em casa. Não tá tudo errado, mas também ainda não está bem certo.

          Que a Chapecoense iria ter estas variações era algo esperado, mas o que vem acontecendo é que as oscilações estão ocorrendo por falta de elenco e as peças de substituição não conseguem manter o padrão de jogo que já apresentou em bons momentos.

            O bom início de Brasileirão fez muitos torcedores esquecerem que nosso time ainda está em formação e que o bom time de 2016 começou a ser formado em 2014. Portanto é importante ter em mente que a meta segue a mesma, permanecer na série A, se for sem muito sofrimento melhor.

             Tinha projetado 15 pontos para as primeiras 10 rodadas, estamos com 13, sigo otimista, temos Flamengo fora e Atlético/MG em casa, precisamos de pelo menos uma vitória, ou dois empates para nos mantermos no meio da tabela pelo menos.

             Vai ser um ano difícil e precisamos ficar unidos, diretoria, time e torcida, se começarmos a cair na "pilha" de imprensa, adversários e quem quer que seja, poderemos colher um amargo rebaixamento.

             Tudo o que acontecer com a Chape este ano, vai ser um "ai ai ai", nos querem coitadinhos, já falei isto, mas não terão.

             Vamos, vamos Chape!!!

sábado, 10 de junho de 2017

Segue a meta

             
              Dizem que depois da tempestade vem a calmaria, que assim seja para o Verdão do Oeste neste final de semana, porque a tempestade foi das grandes, fora e dentro de campo. Muito extracampo distraindo a cabeça de todos enquanto o Gremio calmamente se preparava para o jogo.

               Em campo vimos uma mistura de estrategia equivocada do Mancini(jogar aberto indo pra cima com tudo) com um pouco de azar(o lindo gol, sem querer do Michel). Vimos o melhor time do campeonato jogar bem e fácil, aproveitando esta estratégia equivocada do Verdão e deitando nos contra-ataques e uma Chapecoense empenhada insistindo e se doando. Placar final elástico.

               Lição aprendida, é o que todos esperamos, vamos para São Paulo buscando mostrar que podemos seguir brigando na parte de cima até atingirmos a pontuação necessária para ficarmos tranquilos contra o rebaixamento. Lembramos sempre que esta é a meta número 1, depois disto poderemos pensar em qualquer outra coisa.

               Os times se enfrentaram 6 vezes pelo Brasileirão, a Chape venceu apenas uma e foi em Chapecó, portanto a vantagem histórica está do lado deles, porém o resultado mais comum é o empate, o que hoje nos serviria muito bem.

                 Vamos, vamos Chape!!! Levantar a cabeça e dar a volta por cima é o teu DNA

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Vamos jogar bola?

               
                 Tudo o que envolve a Chapecoense neste ano é foco de notícia e opiniões diversas. Claro que opinião cada um tem a sua, mas a questão é que nem todos buscam ficar informados para depois opinar e o que vemos? Um mar de bobagens.

                    Não importa o que a Chape faça, ou seus torcedores, pois o julgamento virá de uma forma ou de outra. Tanta atenção assim, não vem sem efeitos colaterais. O nosso é não poder falar nada, nem tomar nenhuma decisão sem sermos bombardeados pela moderna onda do politicamente correto.

                    O exemplo no momento é o jogo contra o Grêmio. Ano passado foi o maior blablabla quando a Chapecoense pediu um adiamento de partida(que foi recusado). Agora a Chape fala que nao quer adiar uma partida e a hipocrisia bate forte em diversos torcedores de times adversários, acusam ao Verdão de "não ser solidário" "logo vocês???" . Sim acreditem, estamos em um beco sem saída. Se não tomamos atitude, estamos sendo coitadinhos, se tomamos estamos "deixando de ser solidários".

                    A questão é simples. Todos nos queriam "coitadinhos", esperavam a Chape mendigando, de cabeça baixa, sendo saco de pancadas. "Infelizmente" o Verdão do Oeste se organizou rápido e conseguiu estruturar um bom time e obter resultados, ninguém queria este roteiro, não assim tão rápido.

                     O que vamos fazer? Seguir trabalhando, amanhã receberemos um dos melhores times do Brasil no momento. Jogo dificílimo, para pontuarmos teremos que ser perfeitos e contar com a presença e a força do torcedor na Arena, acredito que assim será.

                    Vamos, vamos Chape!!!!

sexta-feira, 2 de junho de 2017

O jogo e a hipocrisia

           

              Primeiro vamos ao jogo. Mais uma partida consistente do Verdão do Oeste, marcação acertada na maioria do tempo, boa troca de passes, agressividade e pressão , como deve ser em casa. O primeiro tempo e boa parte do segundo foram totalmente da Chape.

             O pecado? Dificuldade nas finalizações e um pouco de azar.

             A arbitragem? Regular, errou em alguns lances, mas nada que comprometesse a partida, apenas o suficiente para irritar quem precisava do resultado.

             O pós-jogo? Confusão na entrada dos vestiários, atitude incorreta, nada justifica brigas no futebol de hoje. Portanto as provocações não justificam, apenas explicam o porquê e foram várias as provocações, em campo e fora dele. Sobre o torcedor que atirou o objeto para o campo, que seja punido exemplarmente e banido do estádio.

                                                 Agora sobre hipocrisia...

           Cansa ler a quantidade de bobagens ditas por torcedores, principalmente daqui do estado quando qualquer coisa ocorre com a Chapecoense, como se nada disto acontecesse com seus times. Ou tem algum dos times do estado que nunca viu seus jogadores se envolverem em confusão dentro ou fora de campo?

            Qualquer coisa que acontece com a Chapecoense é motivo para evocarem a tragédia, coisa que nós que poderíamos fazer, não fazemos. Quando somos prejudicados, coisa comum com times menores, reclamamos, como todos fazem, se não fizéssemos isto, aí sim, seríamos os "coitadinhos".

             É do ser humano se compadecer com o sofrimento do outro, mais ai de você se tiver sucesso, "tá se achando". Todo mundo se compadece quando você perde algum familiar ou alguém querido, até o momento em que você rir da primeira piada ou for para primeira balada, aí será julgado e apedrejado.

             Não pedimos esta atenção da mídia, portanto a mídia não tem nada a cobrar da Chapecoense que seja diferente do que cobraria de qualquer outro time. Como se alguém te desse um presente, porque quis, algo que você não pediu e depois ficasse a vida inteira esperando tua gratidão e reconhecimento eterno.

              Somos gratos a quem nos ajudou sinceramente, seremos sim gratos pra sempre, mas isto não quer dizer que deixaremos de ser um clube de futebol como os demais ou que teremos uma torcida de Madres Terezas de Calcutá e Gandhis. Agirmos de forma diferente sim nos faria coitadinhos, se disséssemos "tudo bem" pra tudo, então poderiam nos ver como coitadinhos, é esta postura que querem que tenhamos, pura hipocrisia, quando é uma postura que nenhum outro time tem.

              Continuamos sendo um time entre os 5 maiores do estádio e um time pequeno nacionalmente, nada mudou, estamos seguindo firmes rumo ao crescimento, quem pensa que tiramos nossos pés do chão está muito enganado.

               A vida segue, nós seguimos também. Vamos, vamos Chape!! Parabéns pela bela partida!!

terça-feira, 30 de maio de 2017

Receber a Raposa tal qual o Leão

                
                   Na quinta-feira queremos manter a escrita, receber bem nossos visitantes e despedir-nos deles com um "presentinho"...de preferência de grego.

                   O Leão da ilha catarinense, não foi páreo para o Verdão, sequer chegou a assustar e ainda tinha gente que defendia que os times eram similares, não são. A superioridade da Chapecoense no jogo de ontem foi gritante demais, parecia um jogo treino preparatório para o desafio de quinta. Domínio total das ações, donos do meio campo, pressão avassaladora até o primeiro gol e uma defesa que foi quase perfeita.

                    Passado o Brasileirão , com mais 3 pontos na conta e a liderança do nacional, o Índio Guerreiro agora se prepara para o Cruzeiro de Mano Menezes, que vem crescendo jogo após jogo. A vantagem deles é considerável, qualquer empate, ou derrota por um gol de diferença, caso marquem algum aqui, dá a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil. Para nós a tarefa é um pouco mais complicada, vencer por dois gols de diferença para passar ou fazer 1x 0 e levar para a decisão por pênaltis.

                      Apesar de difícil , a Chapecoense já mostrou este ano que é possível, nas vitórias que teve no Nacional e na Libertadores. Mais uma vez a diferença será o clima criado pela torcida no Condá. Claro que a pressão não assusta o Cruzeiro, mas o apoio incentiva e muito nossos guerreiros.

                      Vamos, vamos Chape!!!!

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Campeão x Vice (52 x 52)

                   
                     Menos de um mês depois da última partida da final do Catarinense, a Chapecoense volta a encarar o segundo melhor time do estadual. O confronto está empatado no número de vitórias 52 x 52 e a última foi deles, onde apesar de vencerem, não levaram.

                     O momento da Chape é melhor, o elenco avaiano já começa a ser questionado mais fortemente por sua torcida e imprensa, enquanto o Verdão do Oeste vem de uma vitória épica , com virada em 2 minutos na Libertadores da América. Isto vai influenciar na partida? Pouco provável.

                     Todo choro do adversário sobre favorecimento da Chapecoense durante o estadual, fizeram acirrar a rivalidade entre os jogadores dos dois times e como ainda não deu tempo de "esfriar" este fogo, acredito em uma partida nervosa e pegada, portanto nada de moleza.

                      O que importa para o Verdão é manter o foco, atingir o máximo de pontos possíveis no menor período de tempo para não se apertar com o calendário pra frente tendo que escolher compromissos, uma vitória sobre os azuis da ilha nos daria a nossa melhor arrancada desde 2014.

                       Vamos, vamos Chape!!! Mais uma vez domar este leão.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Sobre e-mails e Brasileirão.

                
               Fizemos o que parecia quase impossível, batemos o campeão argentino dentro da casa deles. Jogamos bem, marcamos e achamos os gols necessários. Infelizmente, apesar de apoiar a postura do Maninho, por agir de acordo com a informação que tinha, sou obrigado a reconhecer que faltou um pouco de "malandragem".

                  A Conmebol, não é conhecida por sua seriedade e imparcialidade, o histórico de prejuízo aos clubes brasileiros não é pequeno, então ao receber a informação , mesmo em cima da hora de que um jogador estava irregular, o mais prudente deveria ter sido, não escala-lo. Agora estamos na dependência do frágil argumento do erro de comunicação por parte deles. A possibilidade deles reconhecerem o erro e não retirarem os pontos do Verdão é pequena porém existente.

                  Apesar deste imbróglio que nos envolve, a Chape entrou em campo pelo Brasileirão e conseguiu seguir invicta nesta segunda rodada, batendo nada mais, nada menos que o campeão da edição passada. Mas não é o mais importante, o que realmente importa é a consistência da equipe, começando pelo goleiro que foi até aqui a decisão mais acertada do Mancini na temporada.

                  Não vamos perder as esperanças, mas vamos ficar com os pés bem no chão, caso consigamos manter nossos pontos, temos outro desafio terça e precisamos lotar o Condá para fazermos história mais uma vez.

                   Que semana nos aguarda, que semana....

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Si, se puede!!!

                 
                 Arrancar forças de onde não tem. Criar esperanças onde parece ser impossível , esta é uma marca muito característica do Verdão do Oeste. Sei que muitos times se autodenominam "time da raça", "time da virada" entre outros nomes semelhantes, mas para a Chape isto nem é uma questão de escolha, mas sim de necessidade.

                   Vamos encarar o favorito do grupo, o mesmo time que veio pra Chapecó e não se intimidou sequer um minuto, que após tomar um gol, rapidamente se recompôs e virou o placar sem muita dificuldade. Vamos enfrentar um time argentino e dizer que é um time aguerrido é quase um pleonasmo.

                  Ontem o Zulia e o Nacional , não saíram de um empate e este resultado nos faz sonhar mais um pouco. Uma vitória, ainda que nos pareça improvável, deixaria a Chape dependendo apenas de si para a última rodada. Um empate nos colocaria a necessidade de golearmos o Zulia na última rodada, caso o Nacional faça contra o Lanus um jogo de "compadres" na última rodada, para ambos se garantirem sem riscos(acho improvável) e uma derrota nos tiraria totalmente a chance de sonhar(precisaríamos torcer por vitória do Nacional na última rodada, por goleada sobre o Lanus e também golearmos o Zulia, hoje a diferença é de 10 gols entre nós e o Lanus.)

                    Se existe um jogo para se colocar toda a alma em campo é este. Se existe um momento para se colocar o nome na história, como fez o time de 2016, é este. Eu não duvido deste Índio, nunca.

                     Vamos , vamos Chape!!!!!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

O que esperar?

             
              A Chapecoense começará sua caminhada dentro da elite neste final de semana , fora de casa e contra o Corínthians campeão Paulista deste ano. Fora o fato de que estamos em um momento de instabilidade enfrentaremos um time que ainda não conseguimos vencer no Brasileirão.

               Teremos que entender que nossa situação está mais para 2014 do que para 2016. Por que? Naquele ano de 2014, nosso time, com remanescentes da série B era uma incógnita após jogarmos o hexagonal de rebaixamento do estadual e com várias carências em diversas posições, Levamos 7 rodadas para obter a primeira vitória na série A e fizemos apenas 6 pontos nas primeiras 10 rodadas.

                Em 2016 conseguimos vencer na estréia e fizemos 18 pontos nas primeiras 10 rodadas com apenas uma derrota.

                 Agora voltamos a estaca zero, montando um time , uma comissão técnica e parte da diretoria e tendo que responder rapidamente ao torcedor. O início do ano, por tudo o que aconteceu, foi até certo ponto satisfatório, coroado pelo título estadual, porém em todas as partidas em que a Chape foi mais exigida(Libertadores, Copa do Brasil, Recopa), não correspondeu como um time que tem condições para deixar a torcida Verde e Branca tranquila na luta pela permanência na elite nacional.

                O conflito entre razão e emoção ainda é grande para nós, por um lado entendemos as dificuldades e por outro queremos nos manter. Algumas coisas nesta direção precisam ser mais claras. Até onde o Mancini pode fazer o que quiser e insistir em pontos que não estão dando certo? O quanto a diretoria de futebol tem a força que a anterior tinha para buscar reforços e corrigir estas deficiências?

                Precisamos no mínimo repetir a arrancada de 2015, 13 pontos nas primeiras 10 rodadas. Parece fácil não é? Mas basta dar uma olhada na tabela para saber que não.

                Teremos que achar a medida certa da cobrança, pois se o time não encontrar apoio nesta arrancada poderá se desestabilizar de vez e talvez ficar em uma situação sem conserto.
             

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Dear Mr. Mancini

                
                Primeiramente nossos agradecimentos por ter aceitado este grande desafio que era montar um time a partir do zero, sabendo que esta era uma tarefa nunca antes vista, com tudo o que esta situação envolvia.

                  Da parte dos torcedores, imprensa e diretoria, creio que sempre houve a consciência de que era preciso tempo e que as cobranças mais duras deveriam esperar pelo menos o término do campeonato estadual. Fora alguns cornetas de sempre, que pensam ser videntes, a grande maioria soube esperar.

                    Entrosamento e preparo físico não brotam apenas com vontade, é preciso , treinar, praticar, treinar novamente e jogar até que o time atinja o mínimo necessário para se reconhecer como "equipe". Então, este tempo já foi dado.

                    A Chapecoense conseguiu o título estadual, que valorizamos com certeza, levando tudo em consideração. Mas, algumas considerações precisam ser feitas.

                     1) Quando pegamos times qualificados e bem preparados na Libertadores fomos goleados, fora e dentro de casa.

                      2)A torcida gostaria de saber qual o motivo da insistência em um goleiro que cometeu pelo menos 5 falhas muito visíveis, que não são passíveis nem de "dúvida", na titularidade absoluta do gol Verde e Branco?

                       3)Nathan não tem condição alguma de seguir sendo escalado como titular, com a chegada do Vitor Ramos pode pedir o banquinho e esperar outra chance.

                        4)O jogo contra o Nacional foi resultado das questões acima. Pois , apesar de sabermos que seria pedreira, a falha do Artur logo no início tornou isto ainda pior e as mexidas no time melhoraram consideravelmente(não é a primeira vez que isto ocorre.)

                         5) Iniciaremos o Brasileirão vindo de duas derrotas, uma delas quase nos custou a taça de campeão do estado(novamente graças a decisão de manter o Artur no gol)

                  Sr. Mancini, apesar de termos nos segurado até agora para críticas mais contundentes, devido a tudo que aconteceu. Saiba que citar as condições em que a equipe foi montada e sua excepcionalidade não serão mais aceitas como desculpa por ninguém.

                  Contamos com a sua compreensão, ou dificilmente chegará no quinto jogo da Série A sem ter que procurar um novo clube. A Chape dá todas as condições, é paciente, mas assim como seu torcedor, também tem seu limite

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Nos estádios nunca só

            
              "Parabéns meu Verdão querido,
                paixão que eu não explico,
                mas também não complico,
                é bem simples pra mim.

                 És a alegria de rever amigos,
                 o prazer de abraçar estranhos,
                 com todas perdas e ganhos,
                 Verdão me fazes feliz.

                  Amo as cores desta camisa,
                  e o orgulho que ela me dá,
                  e por onde quer que eu vá,
                  dela jamais me separo.

                   Ver-te em campo jogando,
                    quando todos pensaram que acabaria,
                    é uma inexplicável alegria,
                     pra este bicho do Paraná.

                   Não nasci te admirando
                    Fui conhecer-te já adulto,
                    e este amor que eu exulto,
                    por isto não é menor.

                     Perco por ti minha voz,
                     minha paz e meu sossego
                     jamais pedirei arrego,
                     faria e farei por tia ainda mais.

                     Parabéns minha Sucia querida
                     levar-te-ei por toda vida
                      o privilégio de ser teu torcedor"




terça-feira, 9 de maio de 2017

Lo queremos

           

              A Chapecoense enfrentará amanhã o atual campeão da Libertadores, dentro da casa deles e com o adversário se recuperando de um começo de ano fraco.

              Tarefa difícil, não trazer a taça não desmerecerá em nada o campeão catarinense e uma conquista será de qualquer forma heroica, ou seja, nada temos a perder.

               Conseguimos segurá-los em Chapecó e levar uma pequena vantagem para esta partida, mas temo pela decisão que o Mancini pode resolver tomar estrategicamente falando. Caso decida fazer o que fez na final do estadual, teremos alguns ataques cardíacos durante a partida, até porque o Nacional é bastante superior ao nosso último adversário e tentar apenas se defender lá pode acabar muito mal.

               O que deve nos preocupar? Eles tem um bom chute de longa distância e nosso goleiro titular vem pecando com certa constância neste tipo de bola. A última falha, reconhecida inclusive por ele mesmo e pelo Mancini quase nos custou o título. Outra preocupação é manter o foco. Eles vieram para Chapecó e apesar de todas homenagens antes da partida jogaram o tempo todo concentrados. Teremos que conseguir fazer o mesmo, o que pode ser ainda mais difícil nesta "ressaca" pós Catarinense.

                 Não é uma taça para ser cobrada destes jogadores, mas sim para ser desejada por eles e o que toda torcida espera ver é dedicação dobrada para mais um título histórico.

                 Vamos, vamos Chape!!!!

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Manchado

                   
                    Sim, sou obrigado a assumir, vou admitir o que eu não queria, ou melhor, o que eu não gostaria, o Catarinense 2017 está manchado.

                     Manchado pelo técnico adversário, que não admitindo a queda de produção do seu time no segundo turno, irresponsavelmente criou uma "teoria da conspiração" sobre um favorecimento à Chapecoense. Já seria ruim um profissional falar isto, mas piorou, porque isto fez eco na cabeça de alguns jogadores Avaianos que começaram a reproduzir o discurso.

                     Até membros da diretoria tentaram pilhar seus jogadores e conseguiram, com uma história sem prova alguma de que a equipe verde e branca teria ido para uma boate em Floripa e teria cantado "o campeão voltou lá dentro"(imagine se existisse um dispositivo portátil que permitisse filmar isto...não pera)

                     Era de se esperar que isto chegasse e chegasse com força na boca da torcida da ilha. Daí pra frente o que se viu foi um rio de "chorume", alegações infundadas, mentiras e o pior, começaram a usar a tragédia para fundamentar sua opinião(recebi várias ofensas e ameaças no meu messenger).

                     Parte de pessoas responsáveis pelo Avaí, manchou o campeonato e o nome da sua própria instituição com estas alegações sem prova alguma. Ainda seguem se negando a admitir a capacidade da Chapecoense, o melhor futebol apresentado no returno, quando deveriam ter olhado para o que apresentaram no mesmo(perderam em casa para o Criciúma e Barroso e ganharam do Brusque no sufoco fora além de não bater a Chape).

                      O Avaí do turno passeou por estar melhor entrosado que os demais, no returno teve dificuldades. Mesmo assim lutou bravamente na final com tudo o que tinha e vendeu caro a derrota. Tivesse apenas reconhecido isto sairiam de cabeça erguida como disseram, porém alguns preferiram fazer o que fazem os pequenos, usar o lema "nós contra o mundo".

                       Parabéns Chapecoense, por mais um título Catarinense. Quem não tá magoado reconhece.

sábado, 6 de maio de 2017

Deu a lógica

               

                Este ano deu a lógica, os dois times que representam o estado na série A decidirão quem fica com a taça.
  
                Quarenta anos depois do nosso primeiro título diante do Avaí, cá estamos novamente nos enfrentando para levantar o prêmio máximo do estado.         
                São 122 confrontos no Estadual , 46 vitórias da Chapecoense, 35 empates, 41 vitórias do Avaí. No placar geral de confrontos está 52x51 para o Verdão do Oeste.

                Conquistamos uma boa vantagem, estamos em um bom momento, mas...sempre tem um mas, é futebol, o esporte mais emocionante do planeta, pelo menos no ponto de vista de milhares de fãs. Assim é porque nem sempre dá a lógica, nem sempre o favorito e o que tem a maior vantagem vence.

                 É certo que os dois times querem, é certo que ambos estarão totalmente focados e quando o árbitro der o início da partida os 11 de cada lada estarão prontos para entrega total, é final, não tem depois é a última chamada.

                 O Condá estará lotado, a torcida fará ferver o caldeirão e apesar de não entrar em campo, posso falar que já "vi" fazerem a bola entrar no grito.

                 Tudo o que tinha que ser dito já foi, agora é a hora do "vamos ver", hora de confirmar o que foi feito durante o campeonato todo e mostrar quem realmente merece terminar a noite comemorando.

                 Vamos,vamos Chape!!!

quarta-feira, 3 de maio de 2017

O Leão e a Raposa

                   
                      Parece título de fábula infantil, mas é a sequencia duríssima que a Chape está encarando no momento.

                      O Leão não rugiu, a Chapecoense, tal qual Daniel, entrou na cova e de lá saiu muito viva. Em uma partida pegada desde o apito inicial, o Verdão do Oeste não se intimidou com a torcida e muito menos com o time adversário, apesar disto nem um ou outro conseguiam chegar até a área contrária.
                      Como todo jogo pegado, as faltas começaram a ficar mais duras, até que o jogador azul e branco Capa exagerou na dose e como exagero na dose é a tônica do Héber que apitava(todo jogador deveria ter sido avisado disto no vestiário), não teve perdão, cartão vermelho. A Chapecoense, apesar da superioridade numérica seguiu na sua mesma toada, atacando com cuidado e defendendo muito.

                       O que já estava ruim para o Avaí ficou ainda pior com as decisões de Claudinei que tirou o Marquinhos e deu uma entortada no time. A Chape marcou e levou este placar até o apito final ,levando uma pequena pressão nos minutos finais, porém no estilo "bumba meu boi".

                        Vale destacar o show à parte que deu a torcida verde e branca que lotou o espaço visitante e não apenas como espectadora da partida, por diversas vezes foi o único som ouvido dentro da Ressacada.

                         Hoje encararemos a Raposa, aí o buraco é bem mais embaixo. Time deles completo, querendo levar a competição e em casa, enquanto o Índio do Oeste pensa em poupar alguns jogadores. Se trouxermos qualquer resultado reversível em casa será algo hercúleo devido a nossa maratona atual.

                         
         "Vamos, vamos Chapecoense, vamos, vamos a ganhar, atrás do gol, quero sempre festejar!!!"

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Inspire, respire, não pire!!!

                 
                  Calma torcedor, dói e eu sei bem que dói. Perder jogando mal deixa qualquer um irritado. Por isto aprendi a comentar sobre as partidas só depois de conseguir esfriar a cabeça.

                   Minhas considerações, especificamente sobre a partida de ontem. Mancini errou sim, escalou o time de uma forma que não estava treinado, com isto o time entra inseguro em campo. Enfrentamos um adversário que já está jogando o seu campeonato nacional, ou seja, em outro ritmo,enquanto nós estamos em ritmo de estadual, jogando contra , Barroso, Internacional de Lages...por aí vai.

                    Agora falando de forma geral, nosso time está sim entrosado, porém ainda não está maduro, não sei se todos pensam desta forma, mas eu particularmente sabia que o time não estaria pronto para uma competição como a Libertadores, levando em consideração o tempo de preparação. Mancini não é um técnico genial, mas é um bom técnico, ontem errou, mas tem acertado bastante com este time.

                    Libertadores é experiência para a Chapecoense, os favoritos do grupo sempre foram o Lanus e o Nacional, nossa chance de fazer uma graça seria nas partidas em casa, nossa partida contra o Nacional foi em Chapecó, ontem a probabilidade de trazermos pontos era muito pequena, no fundo todo mundo sabia.

                     A situação agora passou a ser improvável no que diz respeito à classificação. Pra sonhar de verdade precisaríamos vencer o Lanus lá na Argentina, isto só pra começar.

                     O foco da torcida tem que ser no apoio pelo título estadual, nada de choradeira como se tivéssemos levado estes 3x0 de um timinho qualquer.

                     Só para acalmar o animo dos secadores dos demais times vou citar apenas alguns times brasileiros que já caíram na fase de grupos na história da Liberta. Flamengo, Palmeiras, Atlético-PR, Coritiba, Internacional, Botafogo, entre outros.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Só para maiores

             
               A Chapecoense fechou a fase classificatória do Catarinense com nada menos que 72% de aproveitamento. Não é preciso nem dizer o quanto isto demonstra a competência da atual diretoria, que para nosso alívio demonstra estar sabendo dar continuidade a anterior.

                Os reservas mostraram potencial contra o Tigre que jogou para encerrar bem em casa diante da sua torcida e acabou conquistando a vitória, o que para o Verdão era irrelevante.

                Agora o negócio ficou sério, os ajustes foram feitos, este time montado, apesar de ainda não estar perfeito como queremos, já atingiu nível suficiente para dar trabalho a quem quer que seja, com algumas peças a mais vai lutar forte para permanecer na série A, que é nossa segunda meta estes ano.

                A primeira meta foi alcançada parcialmente, chegar à final do estadual. Agora o foco total é levar o bicampeonato para o Oeste. Antes disto porém, teremos uma pedreira que define, muito provavelmente, a nossa chance de passar de fase na Libertadores.

                 Uma vitória no Uruguai é possível, vimos isto em Chapecó. O Nacional, apesar de toda a garra, não é um super time, porém, não é possível querer jogar o jogo deles e sair de lá com qualquer coisa. Nesta escola de "saber bater" e de "catimba" eles tem pós-doutorado, não podemos novamente entrar nesta pilha como ocorreu aqui. Empate nos mantém vivos, mas dependendo de resultados paralelos. Derrota praticamente elimina a Chape, levando em consideração que enfrentaremos fora o líder do grupo e o Nacional pega o Zúlia fora(deve vencer) e o Lanús em casa(pode pegar o Lanús já classificado).

                   Vamos, vamos Chape!!!! Queremos a taça.

sábado, 22 de abril de 2017

Jogo treino...amistoso não

             
              Chapecoense e Criciúma é um clássico catarinense, apesar de muita gente argumentar que isto é impossível por não serem da mesma cidade, o que importa é que a história mostra o equilíbrio nos confrontos que chegarão ao número 151 neste sábado.

               São 53 vitórias para o Verdão do Oeste , 36 empates e 61 vitórias para o Tigre, além das várias finais entre os dois times com o mesmo equilíbrio.

               O jogo não vale nada para ambos os times, porém será uma excelente oportunidade para diversos jogadores mostrarem que ainda merecem um lugar na Chapecoense "pós-Catarinense", apenas Túlio de Melo e Niltinho que entraram na partida contra o Nacional do Uruguai estarão entre os titulares no sul do estado.

                A Chape está focada agora no jogo do Uruguai que definirá o futuro do Verdão na competição continental. Uma vitória nos coloca em segundo com boas condições, um empate nos mantém vivos, mas ainda tendo que lutar muito e uma derrota praticamente sela a eliminação, pois passa a depender demais dos resultados dos outros times do grupo.

                 Foi um excelente jogo contra o Nacional, o time mostrou raça, entrosamento e técnica, faltou um pouco de sorte e a cabeça mais no lugar para enfrentar times que batem muito e catimbam em excesso.

                 Vamos, vamos Chape!!!

terça-feira, 18 de abril de 2017

Só decisões

             
             De hoje até o início do Brasileirão só teremos jogos decisivos em Chapecó. O Nacional do Uruguai já está em solo catarinense e vem precisando pontuar neste dificílimo grupo.

               Contra o JEC a Chapecoense fez um jogo de "segurança", jogou somente o necessário para não levar sustos e conseguir uma vitória que nos garantiu não só na final do Catarinense como também como o mandante do último jogo da final. Porém contra o adversário desta noite a intensidade mínima necessária terá que ser aquela que tivemos contra o outro Nacional, o de Medelin.

                O elenco do Verdão do Oeste, apesar do pouco tempo, já demonstra um bom entrosamento e dedicação tática, se a isto se juntar raça e foco, temos tudo para garantir os 3 pontos que poderiam nos dar boas condições para avançar nesta Libertadores.

                 Não enfrentaremos um time em má fase, o Nacional é líder do campeonato nacional com apenas uma derrota em 11 jogos, mas nossa fase também é boa, então o diferencial pode e será o Condá lotado e pulsando.

                  Vamos, vamos Chape!!!!

quinta-feira, 13 de abril de 2017

É pascoa..e o Coelho tá esperto.

             
             O JEC teve um final de 2016 melancólico, com a queda para a série C e um início de 2017 preocupante com o time habitando a zona de rebaixamento do campeonato estadual, porém agora a situação do Coelho é outra.

               A decisão de investir forte na base, não por escolha, mas por necessidade, acabou se mostrando bastante acertada, pois apesar de toda chiadeira da sua torcida o time acabou achando uma maneira de jogar, dentro das suas possibilidades e revelou bons valores que serão essenciais para o que realmente importa para o JEC este ano, sair logo da série C.

                Todo este papo sobre o adversário é para que a gente saiba que o jogo deste sábado não vai ser "baba", nem "tranquilinho". Ontem eles encararam um time de série A com muita propriedade e fora de casa e conseguiram um resultado que pode ser considerado bom em mata-mata, derrota por placar mínimo e gol marcado. Se a Chape entrar neste confronto com a cabeça no jogo contra o Nacional na próxima semana, pode ser surpreendida em casa e ver a taça do returno em risco.

                 O Verdão do Oeste , jogando em casa e sério é favorito. Mas se entrarem sem foco, achando que a vitória virá a qualquer momento e ao natural podem ver a garotada do JEC fazendo a festa na Arena. Particularmente acredito na primeira opção, acredito que o time está focado em ganhar esta taça e em fazer a final do Catarinense.

                 Olho aberto que estamos na Páscoa e o Coelho tá esperto.

                 Vamos, vamos Chape!!!

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Um olho no peixe e outro no gato...

               
                 O jogo contra o Atlético Nacional foi um evento único. Já seria algo grandioso se fossem somente as homenagens, porém foi algo gigante pela partida que se seguiu a elas.

                  Os jogadores da Chapecoense foram muito bem blindados para focarem na partida e isto aconteceu perfeitamente. O técnico adversário admitiu que a Chapecoense não deixou o seu bom time praticar o futebol que está acostumado. Apesar de ter uma imensa superioridade no quesito "posse de bola", a equipe Verdolaga chegou pouco a área do Verdão do Oeste e foi feliz apenas em um chute forte de fora.

                 Agora porém a Chapecoense volta os olhos para o Campeonato Catarinense e precisa fazer isto sabendo que a realidade é outra. Não teremos um time deixando a Chape jogar, pois sabe que isto pode ser fatal. Teremos que ter paciência contra o Metropolitano, para podermos encontrar o caminho do gol e garantir 3 pontos essenciais para a pretensão não apenas de levar o returno como também de manter-mo-nos na liderança geral.

                 Temos dois jogos ainda mais difíceis do que nossos adversários postulantes ao returno, portanto, tropeço contra o Metropolitano, com todo o respeito, pode selar nosso destino.

                 Vamos, vamos Chape!!!!